Mercado fechará em 6 h 35 min

Exclusivo: João Doria fala, de Davos, sobre investimentos em SP

Carlo Cauti
Exclusivo: João Doria fala, de Davos, sobre investimentos em SP

O governador de São Paulo, João Doria (PSDB) afirmou nesta quinta-feira (23) que a ida ao Fórum Econômico Mundial, sediado na cidade de Davos, na Suíça, captou R$ 17 bilhões em investimentos ao estado. O SUNO Notícias está acompanhando o evento diretamente de Davos.

"A missão foi muito boa, diria muito produtiva. Conversamos com muitas empresas e captamos um total de R$ 17,2 bilhões em investimentos para os próximos três anos de empresas como Iberdrloa, Proctar & Gamble, PepsiCo, Actiona, Bracel e Enel", disse Doria.

Leia também: Davos: Guedes diz que governo busca desenvolver indústria

Confira a entrevista exclusiva do governador de São Paulo, João Doria, ao SUNO Notícias:

-Como foi a percepção por parte dos investidores aqui em Davos da situação econômica em São Paulo e da conjuntura no Brasil?
No caso de São Paulo, a percepção foi muito boa. Isso especialmente graças a nossa posição liberal, pro-mercado, a favor das empresas, com marcos jurídicos claros, amplos programas de desburocratização e a favor dos investidores. Isso atrai muitas empresas estrangeiras. E os CEOs dessas empresas ficaram muito impressionados com algumas de nossas ações como a privatização da PIPA [o corredor rodoviário Piracicaba-Panorama], a maior ação de desestatização de uma rodovia do país. Isso animou muitos sobre os passos concretos do governo do estado de São Paulo.

-Essas empresas demonstraram interesses concretos em planos de desestatização do governo de São Paulo?
Sim. A Actiona demostrou muito interesse em planos de privatização do metrô, ferrovias. Assim como o fundo Mubala, de Abu Dhabi, um dos cinco maiores do mundo, que demonstrou muito interesse em processos de privatização de aeroportos, rodovias, portos, metros etc.. mas sobre a Mubadala teremos mais repostas concretas após nossa missão em Abu Dhabi no começo de fevereiro.

O tema principal do Fórum esse ano é a sustentabilidade e a proteção do meio ambiente. O senhor foi questionado sobre a política ambiental do estado de São Paulo por parte desses executivos e empresários?
Não, pois o estado de São Paulo não tem contenciosos ambientais, não tem desmatamento, não tem problemas nesse aspecto. Nós respeitamos o acordo de Paris e o protocolo da COP de Madrid.

-Mas as empresas não pediram algum passo adiante, como exemplo a questão de “investimentos zero emissões líquidas”?
Não precisava, pois somos nós mesmos, o governo do estado de São Paulo, que exige desses investimentos a emissão zero. Estamos na vanguarda da proteção do meio ambiente.

A entrevista de João Doria foi realizada em Davos, durante o Fórum Econômico Mundial. O SUNO Notícias acompanha o evento até sexta-feira (24).