Mercado abrirá em 6 h 29 min

EXCLUSIVO-Golar Power faz maior lance para arrendar terminal da Petrobras, dizem fontes

Por Sabrina Valle
·2 minutos de leitura
.
.

Por Sabrina Valle

RIO DE JANEIRO (Reuters) - A Golar Power apresentou a oferta mais alta para arrendar um terminal de importação de gás natural liquefeito da Petrobras na Bahia, disseram duas pessoas com conhecimento direto do assunto.

O arrendamento do terminal de regaseificação foi aberto no ano passado como parte de uma série de iniciativas do governo para acabar com o monopólio da estatal na importação e no processamento de gás.

O terminal do estado da Bahia pode processar 20 milhões de metros cúbicos por dia de GNL e inclui um gasoduto associado de 45 quilômetros.

Uma oferta da Golar Power, uma joint venture entre a Golar LNG e a empresa de private equity norte-americana Stonepeak Infrastructure Partners, foi a maior recebida, disseram as pessoas.

Doze empresas candidataram-se a apresentar ofertas, incluindo subsidiárias locais da BP PLC, Total SA e Repsol SA.

Na segunda-feira, a Petrobras disse separadamente que iria realizar uma avaliação de risco de integridade da Golar Power, que já faz negócios com a estatal.

Os resultados dessa revisão, motivada pela citação de um ex-executivo do grupo em uma investigação de corrupção em fase inicial, podem eventualmente excluir a Golar Power da competição.

Golar, Petrobras, BP, Total e Repsol não responderam imediatamente aos pedidos de comentários.

A nova operadora poderá começar a importar combustível no terminal no início do próximo ano, informou anteriormente a Petrobras.

A estatal abriu os envelopes com as ofertas na quarta-feira e está analisando a documentação antes de anunciar oficialmente o vencedor, disseram as fontes.

Qualquer fornecedor considerado com alto grau de risco de integridade pelos critérios da Petrobras não pode fazer negócios com a estatal, informou a empresa na segunda-feira.

A Golar Power está investindo em uma série de projetos no Brasil apostando no aumento do uso de GNL, hoje usado no país principalmente para geração de energia. O combustível pode eventualmente ser um substituto para o diesel, disse Golar no passado.