Mercado fechado
  • BOVESPA

    115.202,23
    +2.512,05 (+2,23%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    46.342,54
    +338,35 (+0,74%)
     
  • PETROLEO CRU

    66,28
    +2,45 (+3,84%)
     
  • OURO

    1.698,20
    -2,50 (-0,15%)
     
  • BTC-USD

    48.288,35
    +865,64 (+1,83%)
     
  • CMC Crypto 200

    982,93
    +39,75 (+4,21%)
     
  • S&P500

    3.841,94
    +73,47 (+1,95%)
     
  • DOW JONES

    31.496,30
    +572,16 (+1,85%)
     
  • FTSE

    6.630,52
    -20,36 (-0,31%)
     
  • HANG SENG

    29.098,29
    -138,50 (-0,47%)
     
  • NIKKEI

    28.864,32
    -65,78 (-0,23%)
     
  • NASDAQ

    12.652,50
    +197,50 (+1,59%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,7780
    -0,0079 (-0,12%)
     

‘Exclusivo’, Clubhouse tem convites à venda no Mercado Livre por R$ 250

Marcus Couto
·3 minuto de leitura
App Clubhouse. (Foto: Rafael Henrique/SOPA Images/LightRocket via Getty Images)
App Clubhouse. (Foto: Rafael Henrique/SOPA Images/LightRocket via Getty Images)

O Clubhouse, “app do momento” que funciona como uma rede social por áudio, com múltiplas salas de conversa onde o usuário pode entrar e sair, é considerado “exclusivo” por ser aberto apenas a pessoas que têm convite.

Baixe o app do Yahoo Mail em menos de 1 min e receba todos os seus emails em 1 só lugar

Siga o Yahoo Finanças no Google News

Mas nessa semana já havia anúncios de gente vendendo esses convites para quem tivesse até R$ 250 para desembolsar.

Leia também:

Diversos anúncios estavam disponíveis no site de venda online Mercado Livre, com preços que giravam em torno de R$ 150. Não havia nenhum testemunho de compras bem-sucedidas no perfil dos vendedores.

Já em um site especializado em vender seguidores para redes sociais, como Instagram, para aumentar a base artificialmente de um perfil, os mesmos convites do Clubhouse também eram vendidos, mas por um valor mais alto, em torno de R$ 250.

No Twitter, o movimento de vendas também era perceptível. Um usuário afirmava abertamente que tinha convites para vender, e diversas pessoas abordavam seu perfil nos comentários em busca de mais informações.

O Clubhouse já era um dos assuntos mais comentados no Twitter na manhã dessa segunda-feira (8), com muita gente divulgando seus perfis, contando sobre suas experiências no app, ou simplesmente tentando entender do que se trata exatamente a novidade.

Confira algumas das postagens:

Por enquanto disponível apenas para o sistema operacional iOS, da Apple, e acessível apenas mediante convites, a Clubhouse é um dos assuntos mais quentes no Vale do Silício e no mundo da tecnologia, avaliado em US$ 100 milhões.

A empresa foi fundada no ano passado por dois empreendedores, Paul Davison e Rohan Seth. Nos últimos meses, vem ganhando os holofotes graças à adesão de artistas famosos, como os atores Jared Leto e Ashton Kutcher.

Sua lógica é simples: uma rede social para smartphones que se baseia em grupos de conversa, mas por áudio. Assim, cada uma dessas salas, onde os usuários podem entrar e sair à vontade, se torna uma espécie de “sala de conferência” sobre temas diversos, de saúde e bem-estar a tecnologia e política.

Nessa última semana, dois convidados de peso ajudaram a atirar ainda mais gasolina na fogueira do hype em torno do Clubhouse: Elon Musk, CEO da Tesla e da SpaceX, e Mark Zuckerberg, CEO do Facebook, a maior rede social do mundo, foram convidados e falaram – em dias diferentes – sobre suas visões sobre o futuro da tecnologia.

Assine agora a newsletter Yahoo em 3 Minutos

Siga o Yahoo Finanças no Instagram, Facebook, Twitter e YouTube