Mercado fechado

EXCLUSIVO-ChemChina busca financiamento com estatais antes de IPO da Syngenta, dizem fontes

Por Julie Zhu e Kane Wu
Logo da China National Chemical Corp, ou ChemChina, em sua sede em Pequim

Por Julie Zhu e Kane Wu

HONG KONG (Reuters) - A China National Chemical Corp, também conhecida como ChemChina, abordou investidoras estatais em busca de até 10 bilhões de dólares em financiamento, como parte da reestruturação de seus negócios de agroquímicos antes de uma oferta pública inicial, de acordo com cinco pessoas familiarizadas com a situação.

A reorganização inclui a gigante suíça Syngenta.

Os esforços para a captação de recursos e a eventual listagem no mercado de ações foram projetados para reduzir as dívidas da ChemChina antes da aguardada megafusão com a estatal Sinochem.

Frank Ning, presidente dos conselhos de ambas as empresas, incentivou as unidades individuais de negócios a explorar o mercado de capitais antes de qualquer compromisso, com negociações em andamento desde 2016.

Executivos da ChemChina e da Sinochem estiveram envolvidos nas abordagens a potenciais investidores, de acordo com duas das fontes. Eles se voltaram a empresas estatais depois de investidores internacionais classificarem a oferta como muito cara, disseram as cinco fontes.

Liang Xiaoliang, executivo de comunicação corporativa da ChemChina, descreveu a reportagem da Reuters como "informação falsa". He Yujie, gerente-geral do departamento jurídico da Sinochem, disse que não há base factual para a matéria. Ambas as empresas se recusaram a fornecer mais detalhes.

A ChemChina pretende listar a Syngenta, produtora suíça de pesticidas adquirida em 2016 por 45 bilhões de dólares, no mercado chinês Star, focado em tecnologia, em meados de 2020, segundo documentos de captação de recursos datados de outubro.

Os documentos, enviados a possíveis investidores, ainda representam os atuais planos das empresas, segundo duas das fontes.

Uma possível listagem no Star, onde as avaliações da empresa costumam ser maiores do que na bolsa principal de Xangai, não havia sido noticiada anteriormente. Essa listagem, se aprovada por reguladores, seria a maior oferta pública inicial (IPO, na sigla em inglês) da história da indústria química.

Para garantir uma listagem no Star, ChemChina e Sinochem criaram uma holding chamada SAS, que abrigará ativos como a Syngenta, além de participações majoritárias na empresa de proteção de safras Adama, listada em Shenzhen, e na unidade de fertilizantes da Sinochem, conhecida como Sinofert, de acordo com os documentos para captação de recursos. A criação da SAS não havia sido noticiada anteriormente.

Syngenta, Adama e Sinofert não responderam aos pedidos da Reuters por comentários.

(Com reportagem adicional de Arno Schuetz, em Frankfurt, e de Cheng Leng, Dominique Patton, Lusha Zhang e Redação Pequim em Pequim)