Mercado fechará em 4 mins

Exame detecta índice de contaminação acima do “nível de preocupação” em peixes

Rafael Walendorff

O Ministério da Agricultura informou que foram identificadas duas amostras de peixes com índices de contaminação por derivados de petróleo O Ministério da Agricultura informou que foram identificadas duas amostras de peixes com índices de contaminação por derivados de petróleo acima dos “níveis de preocupação” à saúde definidos pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).

As amostras acima do nível são do peixe Albacora Azul (Thunnus thynnus), predador migratório de alto mar, que apresentou valores de Hidrocarbonetos Policíclicos Aromáticos (HPA) de 9,51 microgramas de Benzo(a)pireno - Equivalente (BaPE) por quilo, e do Budião (Sparisoma viride), se que alimenta de corais em recifes, com índices de 7,95. A referência definida pela Anvisa como “nível de preocupação” é acima de 6 microgramas de Benzo(a)pireno - equivalente (BaPE) o quilo para peixes.

A amostragem foi encaminhada para a unidade avançada do Laboratório Federal de Defesa Agropecuária em Santa Catarina.

Os índices foram apurados em nova rodada de exames feitos em pescados da área atingida pelo vazamento de óleo no Nordeste coletados entre os dias 6 e 8 de novembro. Outras 66 amostras de peixe, camarão e lagosta analisadas até agora apresentaram resultados abaixo desses níveis.

A Secretaria de Defesa Agropecuária da Pasta afirmou, em nota, que o ministério vai direcionar nova estratégia de monitoramento do pescado por espécie ou habitat e região afetada.

Segundo a Pasta, os resultados não alteram a avaliação do risco do consumo de pescado das regiões atingidas pelo óleo. O risco só estaria presente, diz o ministério, se houvesse o consumo contínuo do mesmo produto com esses níveis durante vários anos.

“Como foram poucos resultados, eles não representam risco para a saúde pública, e não há limitação de consumo neste momento. Vamos aumentar o número de amostrar dessas espécies analisadas para verificar se esses resultados se repetem ou se foram pontuais”, explica o secretário de Defesa Agropecuária, José Guilherme Leal.

Até o momento, já foram coletadas e analisadas 68 amostras (20 na primeira rodada e 48 agora). A primeira havia sido encaminhada para o Laboratório de Estudos Marinhos e Ambientais (LabMAM) da PUC-RJ.