Mercado fechado
  • BOVESPA

    128.057,22
    -1.202,27 (-0,93%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    50.202,80
    -376,30 (-0,74%)
     
  • PETROLEO CRU

    71,02
    -0,02 (-0,03%)
     
  • OURO

    1.776,30
    +1,50 (+0,08%)
     
  • BTC-USD

    37.820,61
    -764,02 (-1,98%)
     
  • CMC Crypto 200

    938,66
    -31,22 (-3,22%)
     
  • S&P500

    4.221,86
    -1,84 (-0,04%)
     
  • DOW JONES

    33.823,45
    -210,22 (-0,62%)
     
  • FTSE

    7.153,43
    -31,52 (-0,44%)
     
  • HANG SENG

    28.558,59
    +121,75 (+0,43%)
     
  • NIKKEI

    29.018,33
    -272,68 (-0,93%)
     
  • NASDAQ

    14.195,25
    +29,75 (+0,21%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,9869
    -0,0751 (-1,24%)
     

Exagero? Google testa anúncios com fontes 50% maiores em resultados de busca

·2 minuto de leitura

Aqueles anúncios que aparecem no topo dos resultados de uma pesquisa no Google muitas vezes já incomodam bastante — eles raramente se provam úteis, e, muitas vezes, até confundem o internauta ao apresentar um site que tenta se passar por uma página oficial. Contudo, tudo indica que o Gigante das Buscas está prestes a tornar tais propagandas patrocinadas ainda maiores.

De acordo com o perfil do Twitter PPC hubbub, a empresa está testando, com um número limitado de usuários, aumentar drasticamente o tamanho da fonte utilizada nas “headlines” (chamadas) dos anúncios nas buscas. Esse aumento seria de, pelo menos, uns 50% em relação ao tamanho atual.

A “novidade” só se aplicaria ao primeiro anúncio patrocinado de cada pesquisa (que, por definição, é o mais caro e mais rentável para a Google). Para provar sua afirmação, o PPC hubbub compartilhou um vídeo gravado da tela de seu próprio celular. Não há indícios de que a alteração afetará a interface para computadores.

Este conteúdo não está disponível devido às suas preferências de privacidade.
Para vê-los, atualize suas configurações aqui.

O Canaltech tentou reproduzir a aparição dos anúncios anabolizados, mas não obteve sucesso (nem em dispositivos móveis e nem no desktop); outros veículos internacionais também não foram capazes de repetir o feito, o que abre uma (pequena) margem para que os tais planos sequer existam. Até o momento, o Google não se pronunciou a respeito do assunto.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech:

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos