Mercado fechará em 4 h 42 min

Ex-primeiro-ministro francês é condenado por esquema de emprego fantasma

Valor

François Fillon foi condenado a 5 anos de prisão por ter empregado a esposa como assessora parlamentar sem que ela exercesse o cargo O ex-primeiro-ministro da França François Fillon foi condenado nesta segunda-feira (29) a cinco anos de prisão, dois deles em regime fechado, por ter empregado a esposa como assessora parlamentar sem que ela exercesse o cargo.

O escândalo foi revelado em meio à campanha presencial de 2017, vencida pelo atual presidente do país, Emmanuel Macron. Na época, Fillon liderava as pesquisas para o Palácio do Eliseu.

Um tribunal francês também decidiu suspender os direitos políticos de Fillon por dez anos e multá-lo em 375 mil euros. Com o emprego fantasma, a esposa do ex-premiê teria recebido mais de 1 milhão de euros sem trabalhar.

Ela, que foi funcionária do marido entre 1981 e 2013, e um assessor de Fillon também foram condenados pelo crime e terão que pagar, respectivamente, 375 mil euros e 20 mil euros em multas.

Os advogados do ex-premiê informaram que vão recorrer da sentença divulgada hoje.