Mercado fechado
  • BOVESPA

    113.282,67
    -781,69 (-0,69%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.105,71
    -358,56 (-0,70%)
     
  • PETROLEO CRU

    73,95
    +0,65 (+0,89%)
     
  • OURO

    1.750,60
    +0,80 (+0,05%)
     
  • BTC-USD

    42.464,86
    +1.218,42 (+2,95%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.067,20
    -35,86 (-3,25%)
     
  • S&P500

    4.455,48
    +6,50 (+0,15%)
     
  • DOW JONES

    34.798,00
    +33,18 (+0,10%)
     
  • FTSE

    7.051,48
    -26,87 (-0,38%)
     
  • HANG SENG

    24.192,16
    -318,82 (-1,30%)
     
  • NIKKEI

    30.248,81
    +609,41 (+2,06%)
     
  • NASDAQ

    15.319,00
    +15,50 (+0,10%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,2556
    +0,0306 (+0,49%)
     

Ex-presidente do BCE destaca divergência de cenário nos EUA e UE

·1 minuto de leitura

(Bloomberg) -- Com tendências divergentes da inflação, o Banco Central Europeu não está na mesma posição que o Federal Reserve quando se trata de reverter o suporte monetário, de acordo com o ex-presidente do BCE Jean-Claude Trichet.

O francês, que comandou a instituição de 2003 a 2011, vê chances de o Conselho do BCE desacelerar a compra de títulos de emergência para os níveis observados no início da crise durante a reunião programada para quinta-feira. Mas Trichet não acredita que as autoridades seguirão o caminho do Fed, que planeja começar a reduzir o estímulo este ano.

“Estamos em um universo diferente, me parece, nos Estados Unidos e na Europa”, disse Trichet em entrevista à Bloomberg Television. “Nos Estados Unidos, havia o compromisso de comprar exatamente a mesma quantidade todos os meses, e esse é um compromisso claro”, disse Trichet, acrescentando que a redução do estímulo, nesse caso, significa algo. “Na Europa, existe flexibilidade.”

Trichet alertou que as pressões inflacionárias nas duas regiões não podem ser comparadas, em particular quando se olha para indicadores que eliminam o efeito dos voláteis preços da energia e dos alimentos. No entanto, autoridades do BCE têm debatido publicamente se o cenário mais positivo justificaria uma discussão sobre quando encerrar o suporte extraordinário para a crise.

“Na Europa, ainda não atingimos um núcleo da inflação em um nível que seria alarmante em minha leitura”, disse Trichet. “Qualquer que seja a decisão que tomem, o que nos alegra é que a economia europeia está crescendo mais rápido do que o previsto.”

More stories like this are available on bloomberg.com

Subscribe now to stay ahead with the most trusted business news source.

©2021 Bloomberg L.P.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos