Ex-paquita Luise Wischermann luta pela guarda do filho e contra a esclerose múltipla

A ex-paquita Luise Wischermann vem lutando duplamente para ser feliz. A primeira é pela guarda definitiva de seu filho, Oliver, 5, que hoje vive com o pai no Canadá. A segunda está relacionada à sua saúde: ela é portadora de esclerose múltipla, doença que ataca o sistema nervoso central, afetando a coordenação motora e não tem cura.

No último Dia das Mães, Luise passou sem a companhia de Oliver, e teve de se contentar em assistiu ao filho abrir o seu presente por meio da internet. “Tentei não demonstrar minha tristeza, mas não consegui e chorei muito”, confessou ela ao site “Ego”.

Ela também reclama que o governo brasileiro pouco tem feito para ajudá-la na conquista da guarda de Oliver. “Já mandei diversas cartas às autoridades brasileiras, e me respondem que vão ver o que podem articular, mas nada fazem”, declarou ela ao site.

De acordo com a publicação, a ex-paquita viveu durante 18 anos no Canadá e só retornou ao Brasil por causa da doença, em 2010. Desde então, luta pela guarda de seu filho.

Luise só pode vê-lo de oito em oito semanas. No próximo dia 12, ela irá buscá-lo, mas não se conforma com a situação e já gastou todas as suas economias com processos na Justiça. No entanto, ela disse que não vai desistir. “Eu sou a mãe, deveria ser o contrário, ele morar comigo e passar férias com o pai. É muito difícil, ele é meu filho, saiu de mim. Não vou deixar de tentar”, desabafou ela para o site.

A ex-paquita, que faz tratamentos com vitamina D, ioga, hidroginástica e shiatsu, também negou que a doença é um obstáculo para cuidar de Oliver. “Isso não me impede, pelo contrário. Minha saúde fica melhor quando ele está do meu lado”, afirmou ela.

Carregando...