Mercado fechará em 5 h 55 min
  • BOVESPA

    109.401,41
    -2.522,52 (-2,25%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    50.799,46
    -434,91 (-0,85%)
     
  • PETROLEO CRU

    75,76
    -1,17 (-1,52%)
     
  • OURO

    1.792,80
    +11,50 (+0,65%)
     
  • BTC-USD

    17.011,30
    -249,21 (-1,44%)
     
  • CMC Crypto 200

    401,23
    -9,99 (-2,43%)
     
  • S&P500

    3.998,84
    -72,86 (-1,79%)
     
  • DOW JONES

    33.947,10
    -482,78 (-1,40%)
     
  • FTSE

    7.539,91
    -27,63 (-0,37%)
     
  • HANG SENG

    19.441,18
    -77,11 (-0,40%)
     
  • NIKKEI

    27.885,87
    +65,47 (+0,24%)
     
  • NASDAQ

    11.830,00
    +24,25 (+0,21%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,4990
    -0,0344 (-0,62%)
     

Ex-funcionário da Apple admite ter dado golpe de R$ 87 milhões na empresa

Além de furtar a Apple, Prasad confessou envolvimento em fraude fiscal. (Foto: Jakub Porzycki/NurPhoto via Getty Images)
Além de furtar a Apple, Prasad confessou envolvimento em fraude fiscal. (Foto: Jakub Porzycki/NurPhoto via Getty Images)
  • Dhirendra Prasad trabalhava na Apple no departamento de Global Service Supply Chain por mais de uma década;

  • Ele se declarou culpado de ter cometido fraude postal e fraude eletrônica;

  • Prasad pode ser sentenciando em até 25 anos de prisão.

Um ex-funcionário da Apple se declarou culpado de fraudar a empresa em mais de R$ 87 milhões. Dhirendra Prasad, que passou a maior parte de sua década na Apple trabalhando como comprador no departamento de Global Service Supply Chain, admitiu “receber propinas, inflar faturas, roubar peças e fazer com que a Apple pagasse por itens e serviços nunca recebidos”, de acordo com o Gabinete do Procurador dos EUA para o Distrito Norte da Califórnia. A Prasad iniciou esses esquemas em 2011 e os continuou até 2018.

Em um golpe, Prasad enviou placas-mãe do estoque da Apple para a CTrends, uma empresa dirigida por um co-conspirador, Don M. Baker (que anteriormente admitiu ter participado dos esquemas fraudulentos). Baker colheu componentes das placas-mãe, então Prasad organizou pedidos de compra para essas peças. Depois que Baker enviou os componentes de volta à Apple, a CTrends apresentou faturas para as quais Prasad providenciou o pagamento. No final, a dupla conseguiu que a Apple pagasse por seus próprios componentes e dividiram os lucros do golpe.

Além de furtar a Apple, Prasad confessou envolvimento em fraude fiscal. Ele dirigiu pagamentos de Robert Gary Hansen (outro co-conspirador que admitiu ter participado dos esquemas) diretamente para seus credores. Além disso, Prasad conseguiu que uma empresa de fachada enviasse faturas falsas à CTrends com o objetivo de encobrir pagamentos ilícitos que Baker lhe enviara. Isso permitiu a Baker "reivindicar centenas de milhares de dólares de deduções fiscais injustificadas", disse a Procuradoria dos EUA. Ao todo, os promotores afirmam que os golpes resultaram na perda do imposto de renda em mais de R$ 9 milhões.

Prasad será sentenciado em março. Ele se declarou culpado de uma acusação de conspiração para cometer fraude postal e fraude eletrônica, que acarreta uma sentença máxima de prisão de 20 anos. Prasad também se declarou culpado de uma acusação de conspiração para fraudar os Estados Unidos, que tem uma pena máxima de cinco anos de prisão. Além disso, Prasad concordou em perder cerca de R$ 25 milhões em ativos que ele acumulou como resultado de suas ações criminosas, incluindo propriedades imobiliárias.