Mercado fechado

Ex-funcionárias da Nintendo revelam má conduta sexual dentro da empresa

Ex-funcionárias da Nintendo revelam má conduta sexual dentro da empresa
Ex-funcionárias da Nintendo revelam má conduta sexual dentro da empresa
  • Uma ex-funcionária relata que um colega de trabalho falava em fazer sexo com um pokemon;

  • Comentários de como era “tudo bem” ser atraído por personagens de jogos infantis também foram relatados;

  • Declarações anti-LGBT também faziam parte da cultura do local de trabalho.

A Nintendo pode ter que responder em breve a alegações de discriminação e assédio sexual em sua divisão americana. Uma reportagem feita pelo site de jogos Kotaku revela que funcionárias foram atingidas por má conduta sexual dentro das divisões da Nintendo of America.

Uma ex-testadora de jogos usando o nome falso Hannah, disse ao siete que se demitiu depois que um funcionário começou a postar em um bate-papo do grupo de trabalho sobre personagens de videogame de maneira inadequada. Entre os comentários inadequados, o empregado falava em fazer sexo com um Pokémon, ou como era “tudo bem” ser atraído por personagens de jogos infantis, como Paimon de Genshin Impact.

“A Nintendo foi quase como um pesadelo. É triste porque eu amo a Nintendo; Eu cresci com a Nintendo. Eu estava tão animada para me juntar à Nintendo quando cheguei lá e pensei que estava indo para algum lugar”, disse Hannah.

O Kotaku ouviu dez fontes que trabalharam na Nintendo em diferentes funções nos últimos dez anos, e elas descrevem um departamento de testes da Nintendo of America que muitas vezes parecia "uma casa de fraternidade", ecoando acusações semelhantes feitas contra a Activision Blizzard em 2021 .

Comentários anti-LGBT, diferenças salariais e tentativas de reprimir críticas também faziam parte da cultura do local de trabalho, de acordo com as alegações. Acredita-se que as trabalhadoras estejam sub-representadas na Nintendo como um todo (37%), e particularmente entre os testadores de jogos (10%).

A empresa reagiu anteriormente a incidentes em outros lugares da indústria. Em novembro, presidente da Nintendo of America, Doug Bowser, disse que as acusações por trás do escândalo da Activision Blizzard eram "angustiantes e perturbadoras". Dias depois, a Nintendo prometeu aumentar o número de gerentes do sexo feminino.