Mercado fechado
  • BOVESPA

    110.925,60
    -1.560,41 (-1,39%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.457,55
    -227,31 (-0,44%)
     
  • PETROLEO CRU

    81,47
    +0,25 (+0,31%)
     
  • OURO

    1.816,60
    +1,40 (+0,08%)
     
  • BTC-USD

    16.963,83
    -172,98 (-1,01%)
     
  • CMC Crypto 200

    401,44
    -4,71 (-1,16%)
     
  • S&P500

    4.076,57
    -3,54 (-0,09%)
     
  • DOW JONES

    34.395,01
    -194,76 (-0,56%)
     
  • FTSE

    7.558,49
    -14,56 (-0,19%)
     
  • HANG SENG

    18.736,44
    +139,21 (+0,75%)
     
  • NIKKEI

    28.226,08
    +257,09 (+0,92%)
     
  • NASDAQ

    12.040,25
    -22,50 (-0,19%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,4726
    +0,0761 (+1,41%)
     

Ex-funcionário da Apple confessa ter fraudado empresa em R$ 87 milhões

Um ex-funcionário da Apple se declarou culpado por fraudar a empresa em mais de US$ 17 milhões, cerca de R$ 87 milhões. De acordo com o Gabinete do Procurador dos Estados Unidos para o Distrito Norte da Califórnia, Dhirendra Prasad admitiu ter recebido propinas, inflar faturas, roubar peças e fazer com que a gigante tech pagasse por itens e serviços nunca recebidos.

Prasad, de 52 anos, trabalhou na Apple de 2008 a dezembro de 2018, atuando como comprador no departamento de Global Service Supply Chain. Segundo o ex-funcionário, que foi responsável pela compra de peças e serviços para a Apple de vários fornecedores, as fraudes começaram em 2011 e continuaram até a sua saída da empresa.

Prasad contou com a ajuda de outros dois co-conspiradores: Robert Gary Hansen e Don M. Baker. Em um dos golpes, o ex-funcionário furtou placas-mãe do estoque da Apple e enviou para a CTrends, empresa de Baker. Em seguida, o golpista organizou pedidos de compra para essas peças e providenciou os pagamentos, enquanto Baker enviou os componentes novamente à Apple. A dupla fez com que a empresa pagasse por seus próprios produtos, enquanto dividia os lucros do golpe.

Somente em fraude fiscal, os resultaram em uma perda de mais R$ 9 milhões na <a class="link " href="https://canaltech.com.br/empresa/receita-federal-do-brasil/" rel="nofollow noopener" target="_blank" data-ylk="slk:Receita Federal">Receita Federal</a> dos EUA. (Imagem: Reprodução/Pexels)
Somente em fraude fiscal, os resultaram em uma perda de mais R$ 9 milhões na Receita Federal dos EUA. (Imagem: Reprodução/Pexels)

Em um outro caso, o ex-funcionário dirigiu pagamentos de Robert Hansen diretamente para os seus credores. Além disso, ele fez com que uma empresa de fachada enviasse faturas falsas à CTrends, encobrindo os pagamentos ilícitos que Baker o enviava. Segundo a Procuradoria dos EUA, com isso Baker pode "reivindicar centenas de milhares de dólares de deduções fiscais injustificadas". Ao todo, os golpes resultaram em uma perda de mais US $ 1,8 milhão (R$ 9 milhões) na Receita Federal norte-americana.

A audiência de sentença está marcada para o dia 14 de março de 2023. Prasad enfrenta até 20 anos de prisão por fraude postal e eletrônica, além de cinco anos por conspiração para fraudar nos Estados Unidos. O ex-funcionário ainda concordou em perder US$ 5 milhões (R_jobs(data.conteudo)nbsp;25,67 milhões) em ativos, incluindo propriedades imobiliárias, que adquiriu com os rendimentos dos esquemas. O site CNET tentou contato com Dhirendra Prasad e com a Apple para comentar sobre o caso, mas não obteve resposta.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech: