Mercado abrirá em 5 h 4 min
  • BOVESPA

    110.035,17
    -2.220,83 (-1,98%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    44.592,91
    +282,61 (+0,64%)
     
  • PETROLEO CRU

    62,62
    +1,12 (+1,82%)
     
  • OURO

    1.755,00
    +26,20 (+1,52%)
     
  • BTC-USD

    46.105,43
    +1.406,88 (+3,15%)
     
  • CMC Crypto 200

    921,10
    -12,04 (-1,29%)
     
  • S&P500

    3.811,15
    -18,19 (-0,48%)
     
  • DOW JONES

    30.932,37
    -469,63 (-1,50%)
     
  • FTSE

    6.483,43
    -168,53 (-2,53%)
     
  • HANG SENG

    29.431,44
    +451,23 (+1,56%)
     
  • NIKKEI

    29.663,50
    +697,49 (+2,41%)
     
  • NASDAQ

    13.116,00
    +205,00 (+1,59%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,7574
    -0,0009 (-0,01%)
     

Ex-executivo do Walmart cria startup de entregas de bens de luxo

Matthew Boyle
·2 minuto de leitura

(Bloomberg) -- O aumento das compras online durante a pandemia criou pilhas de caixas nas portas de casas nos Estados Unidos. Um ex-executivo do Walmart e especialista em logística quer reduzir as montanhas de papelão.

Nate Faust, que por anos trabalhou ao lado do responsável pelas vendas online do Walmart Marc Lore, que saiu da empresa recentemente, estreou na quarta-feira um serviço de entrega chamado Olive, que consolida pedidos de marcas de moda como Michael Kors, Coach e Stuart Weitzman. O serviço reunirá itens de mais de 100 marcas em seus dois centros, onde as caixas serão recicladas enquanto as mercadorias são enviadas aos consumidores sem custo extra em um contêiner reutilizável.

Faust, de 41 anos, reconhece que os clientes terão que esperar mais para receberem seus pedidos. Mas ele aposta que consumidores abastados e frequentes que lideram as compras de moda online não se importarão em esperar alguns dias extras para obter todas as compras em uma embalagem organizada. Itens indesejados podem ser devolvidos na mesma embalagem na porta de casa.

Ele teve a ideia de criar a Olive depois de observar pilhas de papelão nas calçadas de seus vizinhos em uma rua em Nova Jersey.

“Pensei: ‘Isso é loucura, depois de anos de comércio eletrônico, ainda é a experiência de entrega status quo'”, disse Faust, que cofundou a Jet.com com Lore antes de vendê-la ao Walmart por US$ 3,3 bilhões em 2016. Com a Olive, “é assim que o e-commerce deve funcionar, do ponto de vista do consumidor e de uma perspectiva ambiental”.

A Olive, que opera tanto como um aplicativo quanto como uma extensão no navegador em sites de parceiros, lucra ao receber cerca de 10% de cada pedido que consolida de suas marcas afiliadas, que incluem Adidas, Everlane e Hunter. O serviço conta com a Primary Venture Partners, Invus e SignalFire entre seus investidores.

A Olive, por sua vez, paga sua rede de transportadoras, que cuida das entregas e devoluções. Os clientes dizem à Olive quais itens não querem e, em seguida, deixam a caixa reutilizável na entrada da residência.

“Você não precisa imprimir a etiqueta ou ir até a FedEx”, disse Faust, que deixou o Walmart em março de 2020.

For more articles like this, please visit us at bloomberg.com

Subscribe now to stay ahead with the most trusted business news source.

©2021 Bloomberg L.P.