Mercado fechado
  • BOVESPA

    105.069,69
    +603,69 (+0,58%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    50.597,29
    -330,11 (-0,65%)
     
  • PETROLEO CRU

    66,22
    -0,28 (-0,42%)
     
  • OURO

    1.782,10
    +21,40 (+1,20%)
     
  • BTC-USD

    48.797,44
    -643,18 (-1,30%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.367,14
    -74,62 (-5,18%)
     
  • S&P500

    4.538,43
    -38,67 (-0,84%)
     
  • DOW JONES

    34.580,08
    -59,72 (-0,17%)
     
  • FTSE

    7.122,32
    -6,89 (-0,10%)
     
  • HANG SENG

    23.766,69
    -22,21 (-0,09%)
     
  • NIKKEI

    28.029,57
    +276,17 (+1,00%)
     
  • NASDAQ

    15.687,50
    -301,00 (-1,88%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,3953
    +0,0151 (+0,24%)
     

Ex-entregador fatura R$ 2,9 milhões com franquia de tintas

·1 min de leitura
Foto: Getty Images.
Foto: Getty Images.
  • Atualmente, Rogério Cavallo é dono de uma das lojas da empresa de tintas onde trabalhou quando tinha 16 anos;

  • A unidade da Tintas MC, em Alphaville, na Grande São Paulo, faturou R$ 2,9 milhões em 2020;

  • Segundo Cavallo, canais como o telefone e o WhatsApp foram essenciais para crescimento do negócio.

Rogério Cavallo, 47 anos, é dono de uma das lojas da Tintas MC, que faturou R$ 2,9 milhões em 2020. Contudo, como muitas histórias fascinantes de brasileiros, a narrativa do empresário também não iniciou do privilégio. 

O atual sócio da franquia começou a trabalhar aos 16 anos como entregador da companhia de tintas, levando estas de bicicleta da Barra Funda, São Paulo, onde ficava a loja, até as casas dos clientes.

Leia também:

Com apenas seis meses de trabalho, Cavallo se tornou balconista. Depois, chegou a gerente e, após dez anos, virou gerente regional da companhia na região da Grande São Paulo. Foi em 2018, contudo, que o atual empresário passou a ser sócio de uma unidade da marca, em Alphaville.

Nessa época, Cavallo investiu R$ 130 mil para ter 20% do negócio. Segundo o próprio, a maior dificuldade inicial foi conseguir público para a unidade. Sem revelar o valor investido na compra da loja em 2020, o empresário afirma que sua franquia fez R$ 2,9 milhões no mesmo período, ou seja, teve um lucro de 8%.

Como em muitos casos de pequenos e grandes negócios, a pandemia trouxe dificuldades financeiras. No caso de Cavallo, três meses após a compra da unidade, a covid-19 explodiu no Brasil, o que gerou uma queda no volume de vendas de 50% entre abril e maio.

De acordo com o sócio da franquia, para levantar o negócio, a aposta foi investir em canais como telefone e WhatsApp, de onde 75% da vendas acontecem. 

Apesar do nome, a empresa lida com outros produtos além de tintas, como equipamento de segurança, impermeabilizantes, solventes, entre outros.

As informações são do UOL.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos