Mercado fechado
  • BOVESPA

    98.953,90
    +411,90 (+0,42%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    47.743,15
    +218,75 (+0,46%)
     
  • PETROLEO CRU

    108,46
    +0,03 (+0,03%)
     
  • OURO

    1.812,90
    +11,40 (+0,63%)
     
  • BTC-USD

    19.315,52
    +24,13 (+0,13%)
     
  • CMC Crypto 200

    420,84
    +0,70 (+0,17%)
     
  • S&P500

    3.825,33
    +39,95 (+1,06%)
     
  • DOW JONES

    31.097,26
    +321,86 (+1,05%)
     
  • FTSE

    7.168,65
    -0,63 (-0,01%)
     
  • HANG SENG

    21.859,79
    -137,11 (-0,62%)
     
  • NIKKEI

    25.935,62
    -457,38 (-1,73%)
     
  • NASDAQ

    11.610,50
    -0,75 (-0,01%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,5554
    +0,0498 (+0,90%)
     

Ex-diretor de criptomoedas da Meta lança startup de pagamentos com Bitcoin

  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
Neste artigo:
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
David Marcus
David Marcus

A Meta, anteriormente chamada de Facebook, fez barulho há um tempo ao tentar criar uma stablecoin própria, chamada de Libra. Após o fracasso do projeto, um ex-diretor da empresa decidiu adotar o Bitcoin, junto da Lightning Network, como a criptomoeda base para a sua mais nova companhia, a LightSpark.

O anúncio foi feito no Twitter de David Marcus, cofundador e agora o CEO da Lightspark, disse que a ideia é que a nova companhia passe a explorar as capacidades que o Bitcoin possui, incluindo começar a explorar o que a Lightning Network tem para oferecer.

“Eu queria compartilhar que estamos começando uma nova companhia chamada LightSpartk para explorar, construir e estender as capacidades e utilidade do Bitcoin. Como um primeiro passo, estamos ativamente juntando uma equipe para explorar a fundo a Lightning Network.”

David Marcos, ligado ao PayPal, anteriormente era o líder da divisão da Meta responsável por desenvolver uma stablecoin para cada região onde o Facebook atua, mas depois a ideia foi abandonada pelo conceito da Libra, uma stablecoin para todos os usuários das soluções da empresa ao redor do mundo.

Na época a Libra Association conseguiu atrair grandes nomes quando anunciada em 2019. Seus membros incluíam MasterCard, PayPal, Stripe, Visa, eBay, Lyft, Uber, Spotify e Andreessen Horowitz.

Ela também atraiu o interesse das autoridades regulatórias que caíram em cima da Libra para cobrar explicações sobre seu funcionamento, seu lastro e sobre as implicações de uma moeda que não é emitida pelo governo, mas sim por uma empresa privada.

Os reguladores estavam preocupados com uma grande corporação exercendo tal influência sobre um projeto econômico global.

A pressão regulatória foi tão grande que o projeto foi adiado, teve o nome trocado, foi reestruturado e, ao que tudo indica, pausado indeterminadamente. Com a mudança do Facebook para a Meta.

Diferente do que a MicroStrategy fez, a Meta não adotará o Bitcoin como parte de seu balanço ou então usar a moeda como moeda de troca.

“Momentos de baixa são bons períodos para focar em construir e criar valor com pessoas alinhadas em uma missão. Nós estamos animados em explorar a Lightning, aprender mais e trabalhar junto com a comunidade. Nós vamos compartilhar mais sobre nosso trabalho assim que fizermos progresso.”

Agora resta esperar para saber como a recém-criada LightSpark ajudará a comunidade do Bitcoin e se haverá participação direta da Meta no ecossistema da maior criptomoeda do mundo.

Fonte: Livecoins

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos