Mercado fechado

Ex-comandante militar do Sul, general Antônio Miotto morre de Covid-19 aos 65 anos

O Globo
·1 minuto de leitura
Divulgação/Exército Brasileiro

SÃO PAULO - Morreu nesta quarta-feira (20) o general da reserva do Exército Geraldo Antônio Miotto, de 65 anos, vítima de Covid-19. Ele estava internado em Porto Alegre desde 1º de dezembro, quando começou a apresentar sintomas da doença. Ao longo de sua carreira, Miotto integrou o Gabinete de Segurança Institucional (GSI) da Presidência da República, foi comandante militar da Amazônia e comandante-geral do Sul, cargo que deixou em abril de 2020, ao passar para a reserva.

O Comando Militar do Sul afirmou, por meio de nota, que recebeu a notícia com "pesar e muita tristeza" e que "se solidariza com familiares e amigos" de Miotto, a quem expressa "as mais sinceras condolências pela perda, como também, agradece a dedicação do trabalho prestado ao Exército Brasileiro e ao Brasil".

Governador do Rio Grande do Sul, Eduardo Leite (PSDB), também lamentou a morte do militar. Segundo ele, "Miotto ofereceu apoio reiteradas vezes para o enfrentamento à Covid-19, doença q o vitimou, e para ações de interesse" do estado.

Nascido em São Marcos, no interior do Rio Grande do Sul, em 20 de março de 1955, Miotto ingressou no Exército em 1972. Três anos depois, foi para a Academia Militar das Agulhas Negras (AMAM), onde se formou em 1978, um ano após a turma do presidente Jair Bolsonaro.

Miotto ocupou a secretaria-executiva do GSI da Presidência, durante o governo de Dilma Rousseff, até 2015. Promovido a general quatro estrelas, foi para a Amazônia e depois para o Sul, onde comandava uma tropa de cerca de 50 mil militares.

As cerimônias fúnebres ocorrerão em São Marcos, sua cidade natal, segundo o Comando Militar do Sul.