Mercado fechado
  • BOVESPA

    106.471,92
    +579,92 (+0,55%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    46.723,43
    -192,77 (-0,41%)
     
  • PETROLEO CRU

    88,53
    -0,48 (-0,54%)
     
  • OURO

    1.792,40
    +1,20 (+0,07%)
     
  • BTC-USD

    23.330,59
    +143,45 (+0,62%)
     
  • CMC Crypto 200

    533,20
    -2,02 (-0,38%)
     
  • S&P500

    4.145,19
    -6,75 (-0,16%)
     
  • DOW JONES

    32.803,47
    +76,67 (+0,23%)
     
  • FTSE

    7.439,74
    -8,32 (-0,11%)
     
  • HANG SENG

    20.201,94
    +27,94 (+0,14%)
     
  • NIKKEI

    28.175,87
    +243,67 (+0,87%)
     
  • NASDAQ

    13.216,50
    -12,25 (-0,09%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,2557
    -0,0848 (-1,59%)
     

Ex-CIO da Pimco prefere Treasuries curtos a qualquer outro ativo

(Bloomberg) -- Bill Gross tem um conselho para quem quer aproveitar a baixa para comprar títulos longos, ações e commodities: não faça isso.

O cofundador e ex-chefe de investimentos da Pimco disse que as notas do Tesouro americano de um ano são uma alternativa melhor a quase todos os outros investimentos, à medida que os aumentos de juros do Federal Reserve nos EUA levam a uma “forte” possibilidade de recessão.

O ex-rei do mercado de renda fixa vem instando os investidores a adotarem uma postura cautelosa desde o início do ano, um conselho que se mostrou valioso após as perdas históricas de ações e títulos este ano.

Apesar do ditado de Wall Street de que sempre há um mercado em alta em algum lugar, “acho difícil encontrar um agora”, disse Gross, de 78 anos, em suas perspectivas de investimento. “Seja paciente. Treasuries de 12 meses a 2,7% são melhores do que o seu fundo do mercado monetário e quase todas as outras alternativas.”

Gross, com patrimônio líquido de US$ 1,2 bilhão segundo o Bloomberg’s Billionaires Index, se aposentou da gestão de ativos em 2019, mas ainda atualiza regularmente suas visões sobre investimento em seu site.

Ele disse que o presidente do Fed Jerome Powell e seus colegas poderiam aumentar a taxa básica para 3,5% o mais rápido possível, do nível atual de 1,75%. Isso está de acordo com a precificação atual do mercado de títulos, que aponta para um pico da taxa de referência no primeiro trimestre de 2023.

Gross usou bandas de Bollinger, uma técnica que analisa os desvios padrão de níveis históricos, para prever o que o Fed fará “para criar com segurança uma recessão suave que, por sua vez, reduzirá gradualmente a inflação”.

Então, o que isso significa para os mercados? Com rendimentos de 10 anos em cerca de 3%, contra 1,5% no final do ano passado, os títulos de longo prazo representam “risco reduzido”, mas com “pouca recompensa”.

“Não os compre”, escreveu Gross. “Ações devem enfrentar futuras decepções com lucros e ainda não estão tão baratas quanto parecem. Não compre ainda.”

E commodities? Elas estão ficando “sem gasolina”.

Com base em sua pesquisa anterior na Pimco, Gross disse que o mundo ainda está preso no estágio de “finanças especulativas” no esquema do economista Hyman Minsky, onde mais crédito flui para a especulação financeira, em vez de apoiar o crescimento econômico.

Com isso, o Fed não pode aumentar juros demais, muito cedo, sem afundar a economia alavancada dos EUA e do resto do mundo, de acordo com Gross.

More stories like this are available on bloomberg.com

©2022 Bloomberg L.P.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos