Mercado fechado
  • BOVESPA

    121.113,93
    +413,26 (+0,34%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    48.726,98
    +212,88 (+0,44%)
     
  • PETROLEO CRU

    63,07
    -0,39 (-0,61%)
     
  • OURO

    1.777,30
    +10,50 (+0,59%)
     
  • BTC-USD

    56.804,43
    -5.632,73 (-9,02%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.398,97
    +7,26 (+0,52%)
     
  • S&P500

    4.185,47
    +15,05 (+0,36%)
     
  • DOW JONES

    34.200,67
    +164,68 (+0,48%)
     
  • FTSE

    7.019,53
    +36,03 (+0,52%)
     
  • HANG SENG

    28.969,71
    +176,57 (+0,61%)
     
  • NIKKEI

    29.683,37
    +40,68 (+0,14%)
     
  • NASDAQ

    14.024,00
    +10,00 (+0,07%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,6943
    -0,0268 (-0,40%)
     

Ex-CEO da Braskem se declarará culpado em caso de US$ 250 mi

Patricia Hurtado
·2 minuto de leitura

(Bloomberg) -- O ex-diretor executivo da Braskem Jose Carlos Grubisich vai se declarar culpado de acusações ligadas a um esquema de suborno de US$ 250 milhões que os EUA disseram também envolver a Odebrecht, controladora da Braskem.

Acusado de ter embolsado US$ 2,6 milhões para si próprio, Grubisich deve protocolar a declaração em 15 de abril, de acordo com um processo judicial. Ele foi acusado de conspiração em uma ação apresentada em 2019.

Braskem e Odebrecht se declararam culpadas em 2016 de conspiração para violar as disposições antissuborno da Lei de Práticas de Corrupção no Exterior dos EUA e concordaram em pagar US$ 3,5 bilhões para resolver o caso de suborno movido pelos EUA, Brasil e Suíça.

Grubisich ajudou a desviar cerca de US$ 250 milhões da Braskem para uma unidade de negócios oculta, chamada Divisão de Operações Estruturadas, que a Odebrecht usava como um “departamento autônomo de suborno”, segundo promotores. A unidade foi usada para canalizar pagamentos a funcionários públicos corruptos para obter e manter negócios, disseram.

O advogado de Grubisich, Edward Kim, não quis comentar o caso ou em quais acusações seu cliente se declararia culpado.

Leia a acusação aqui

Grubisich e outros concordaram em pagar milhões de dólares a, ou em benefício de, funcionários do governo, partidos políticos e outros no Brasil para obter vantagem indevida para a Braskem e a Odebrecht, alegaram os EUA. Eles teriam criado um fundo para fazer os pagamentos ilegais em nome da Braskem.

Grubisich deixou a Braskem em 2008.

O caso é US v. Grubisich, 19-cr-00102, Tribunal Distrital dos Estados Unidos, Distrito Leste de Nova York (Brooklyn).

(Atualiza a partir do segundo parágrafo com mais informações sobre o caso)

For more articles like this, please visit us at bloomberg.com

Subscribe now to stay ahead with the most trusted business news source.

©2021 Bloomberg L.P.