Mercado fechado
  • BOVESPA

    101.915,45
    -898,58 (-0,87%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    49.698,72
    -97,58 (-0,20%)
     
  • PETROLEO CRU

    66,74
    -3,21 (-4,59%)
     
  • OURO

    1.774,20
    -11,00 (-0,62%)
     
  • BTC-USD

    57.003,40
    -1.281,40 (-2,20%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.455,65
    +12,87 (+0,89%)
     
  • S&P500

    4.567,00
    -88,27 (-1,90%)
     
  • DOW JONES

    34.483,72
    -652,22 (-1,86%)
     
  • FTSE

    7.059,45
    -50,50 (-0,71%)
     
  • HANG SENG

    23.475,26
    -376,98 (-1,58%)
     
  • NIKKEI

    27.821,76
    -462,16 (-1,63%)
     
  • NASDAQ

    16.214,50
    -176,25 (-1,08%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,3767
    +0,0475 (+0,75%)
     

Aquecimento global: cidades brasileiras podem desaparecer?

·3 min de leitura
Amazon rainforest illegal deforestation landscape view of trees cut and burned to make land for agriculture and cattle pasture in Para, Brazil. Concept of ecology, environment, global warming.
Amazon rainforest illegal deforestation landscape view of trees cut and burned to make land for agriculture and cattle pasture in Para, Brazil. Concept of ecology, environment, global warming.
  • O derretimento acelerado de algumas das maiores geleiras do planeta é motivo de preocupação;

  • Rio de Janeiro é a cidade brasileira que mais pode sofrer com perda de território com o aumento do nível dos oceanos;

  • O Pará é também um dos locais mais afetados no Brasil devido ao avanço do mar.

Estudos científicos apontam previsão de que o aquecimento global seja o responsável por continuar desintegrando as grandes massas de gelo do mundo, o que deve elevar gradativamente o nível dos oceanos e transformar cada vez mais o planeta Terra. O derretimento acelerado de algumas das maiores geleiras do planeta – Antártida e Ártico – é motivo de preocupação para todos os especialistas.

A alta acelerada do nível do mar pode afetar, pelas inundações ao menos 300 milhões de pessoas ao redor do planeta nas próximas duas décadas, de acordo ao estudo realizado pela ONG Climate Central. De acordo com os dados da pesquisa, o continente asiático deve ser o mais afetado com as inundações, mas todas as regiões do mundo podem sofrer futuros impactos, como a cidade do Rio de Janeiro.

O que diz o Painel Brasileiro de Mudanças Climáticas sobre o impacto nas regiões brasileiras?

Em questões mundiais, as mudanças climáticas são investigadas pelo Painel Intergovernamental de Mudanças Climáticas (IPCC), órgão ligado a ONU desde 1988. Em 2009, o Brasil ganhou um representante da instituição, o Painel Brasileiro de Mudanças Climáticas (PBMC), criado pelos ministérios da Ciência e Tecnologia e do Meio Ambiente.

Segundo relatório oficial do organismo brasileiro, a elevação do nível do mar coloca em risco patrimônio de R$124 milhões no Rio de Janeiro. Além disso o PBMC também alerta para como o Brasil vai na contramão do planeta e segue aumentando os números de emissões de gases do efeito estufa com práticas de desmatamento, ação completamente prejudicial no combate do derretimento acelerado das geleiras do planeta.

Como esse aquecimento afeta cada região?

Com a aceleração do processo de derretimento das geleiras da Antártida e do Ártico, as cidades litorâneas tendem a sofrer gradativamente com o aumento no nível do mar. Esse fenômeno climático abala tanto geologicamente as regiões quanto pode trazer problemas irredutíveis na economia do território, já que a perda de terras para o oceano pode causar problemas com moradias, bens, entre outros desastres econômicos.

Quais cidades/estados estão mais ameaçados pelo aquecimento global?

No estudo realizado pela ONG Climate Central, fica indicado que o Rio de Janeiro é a cidade brasileira que mais pode sofrer com perda de território com o aumento do nível dos oceanos, correndo riscos de submersão até 2100.

O Estado do Pará também é um dos locais mais afetados no Brasil devido ao avanço do mar. A maior parte da extensão da Ilha de Marajó, por exemplo, deverá ficar submersa até o final do século. Ainda na Região Norte do Brasil, algumas áreas do Amapá, como a Ilha de Maracá e a Reserva do Lago Piratuba devem desaparecer em menos de 100 anos.

Quais medidas emergenciais podem ser tomadas para reduzir esse impacto?

A luta contra o aumento do nível do mar ocorre de mãos dadas com a batalha contra o aquecimento global. Quanto mais a terra esquentar, mais rápido as geleiras irão derreter e invadir pouco a pouco os continentes. Para retardar esse acontecimento, é necessário frear de forma significativa a quantidade de gases do efeito estufa, e são diversas medidas que podem auxiliar nesse combate: produzir menos lixo, consumir mais produtos locais e optar por usar mais o transporte público e não o automóvel pessoal. Com essas providências emergenciais, o aumento do nível do mar pode ser mais controlado e menos nocivo para os territórios do planeta.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos