Mercado fechado
  • BOVESPA

    112.764,26
    +3.046,32 (+2,78%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    48.853,37
    +392,82 (+0,81%)
     
  • PETROLEO CRU

    91,88
    -2,46 (-2,61%)
     
  • OURO

    1.818,90
    +11,70 (+0,65%)
     
  • BTC-USD

    24.485,44
    +361,88 (+1,50%)
     
  • CMC Crypto 200

    574,64
    +3,36 (+0,59%)
     
  • S&P500

    4.280,15
    +72,88 (+1,73%)
     
  • DOW JONES

    33.761,05
    +424,38 (+1,27%)
     
  • FTSE

    7.500,89
    +34,98 (+0,47%)
     
  • HANG SENG

    20.175,62
    +93,19 (+0,46%)
     
  • NIKKEI

    28.546,98
    +727,65 (+2,62%)
     
  • NASDAQ

    13.580,00
    +268,75 (+2,02%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,2024
    -0,1213 (-2,28%)
     

Eve, da Embraer, fecha primeiro acordo para fornecer solução de controle de tráfego

FOTO DE ARQUIVO: O logotipo da fabricante brasileira de aviões Embraer SA é visto na sede da empresa em São José dos Campos

Por Gabriel Araujo

SÃO PAULO (Reuters) - A Eve, companhia de aeronaves elétricas da Embraer, anunciou neste domingo seu primeiro acordo tráfego aéreo urbano e disse estar em negociações com possíveis novos para fornecer um software com soluções para controle de clientes no setor.

A empresa assinou uma carta de intenções com a Halo Aviation, empresa britânica que opera serviços personalizados de helicóptero e mobilidade aérea urbana privada, para desenvolvimento e lançamento do produto de controle de tráfego, com operações projetadas para ocorrer no Reino Unido e Estados Unidos.

A Halo já havia encomendado 200 veículos de pouso e decolagem verticais (eVTOLs, na sigla em inglês) da Eve no ano passado, buscando avançar no setor de mobilidade aérea urbana (UAM).

O software não será focado apenas nas aeronaves da Eve, já que seus eVTOLs dividirão espaço aéreo com drones, helicópteros, aeronaves comerciais e outros "táxis voadores", disse André Stein, co-CEO da Eve.

"É uma solução agnóstica", ele afirmou em entrevista à Reuters.

Eve e Halo não divulgaram os valores envolvidos no negócio.

Stein disse ainda que a Eve também está em contato com outros possíveis clientes para expandir sua presença no setor de controle de tráfego. Ele não entrou em detalhes, mas afirmou que as negociações incluem tanto operadores de eVTOLs quanto controladores.

A Eve possui atualmente uma carteira de 1.910 pedidos, a maior na indústria, e vê o histórico bem-sucedido da Embraer na certificação de produtos como uma vantagem sobre os competidores.

"Somos uma das poucas empresas que podem dizer 'done that before' (que já fizemos isso antes)", disse Stein, observando que a Embraer certificou 30 modelos nos últimos 25 anos.

Stein afirmou que a Eve, que projeta lançar seus táxis voadores em 2026, não possui um alvo específico para números de pedidos, mas espera ser uma empresa líder no setor em que prevê que haja 50 mil aeronaves até 2035 e 100 mil até 2040.

Entre outras empresas do setor estão Joby Aviation, Vertical Aerospace, Lilium e Archer Aviation.

A Eve estreou na bolsa de valores de Nova York neste ano após uma combinação de negócios com a empresa de cheque em branco Zanite, levantando no processo 377 milhões de dólares para a fabricação de suas aeronaves elétricas.

O anúncio deste domingo ocorre após a empresa também ter revelado o primeiro mock-up da cabine de seu eVTOL no Farnborough Airshow, na Inglaterra.

Stein havia dito a jornalistas em maio que a empresa não está correndo para lançar um protótipo e que tem como prioridade garantir que está no caminho certo no desenvolvimento da aeronave.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos