Mercado fechado
  • BOVESPA

    100.552,44
    +12,61 (+0,01%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    38.669,25
    +467,44 (+1,22%)
     
  • PETROLEO CRU

    39,84
    -0,19 (-0,47%)
     
  • OURO

    1.923,90
    -5,60 (-0,29%)
     
  • BTC-USD

    12.904,22
    +1.847,21 (+16,71%)
     
  • CMC Crypto 200

    258,26
    +13,37 (+5,46%)
     
  • S&P500

    3.435,56
    -7,56 (-0,22%)
     
  • DOW JONES

    28.210,82
    -97,97 (-0,35%)
     
  • FTSE

    5.776,50
    -112,72 (-1,91%)
     
  • HANG SENG

    24.754,42
    +184,88 (+0,75%)
     
  • NIKKEI

    23.493,92
    -145,54 (-0,62%)
     
  • NASDAQ

    11.633,50
    -57,75 (-0,49%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,6510
    +0,0010 (+0,02%)
     

Evans, do Fed, espera inflação de 2% até 2023, mas sem aumento de juros

·1 minuto de leitura

(Reuters) - O presidente do Federal Reserve (Fed) de Chicago, Charles Evans, disse nesta quarta-feira não esperar que o banco central dos Estados Unidos aumente os juros até pelo menos 2023, embora projete que a inflação alcance a meta de 2% até lá.

Evans considerou que levar a inflação ao patamar desejado requer um lento e duro trabalho.

"Espero um 'overshoot' (inflação acima da meta) nos próximos anos, mas assumindo contínua acomodação (monetária) e também uma melhor política fiscal", disse a repórteres em videochamada.

Os fatores mais importantes para a recuperação nos próximos seis a 18 meses, afirmou, são um maior apoio fiscal e melhor controle da pandemia de Covid-19.

(Por Ann Saphir)