Mercado fechará em 6 h 49 min
  • BOVESPA

    121.113,93
    +412,93 (+0,34%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    48.726,98
    +212,88 (+0,44%)
     
  • PETROLEO CRU

    63,28
    +0,15 (+0,24%)
     
  • OURO

    1.776,70
    -3,50 (-0,20%)
     
  • BTC-USD

    56.612,88
    +2.523,69 (+4,67%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.285,93
    -105,78 (-7,60%)
     
  • S&P500

    4.185,47
    +15,05 (+0,36%)
     
  • DOW JONES

    34.200,67
    +164,67 (+0,48%)
     
  • FTSE

    7.018,65
    -0,88 (-0,01%)
     
  • HANG SENG

    29.106,15
    +136,44 (+0,47%)
     
  • NIKKEI

    29.685,37
    +2,00 (+0,01%)
     
  • NASDAQ

    13.973,25
    -56,25 (-0,40%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,7266
    +0,0405 (+0,61%)
     

EUA voltam a ligar para sauditas antes reunião da Opep+ sobre nível de oferta

Alex Lawler e Ahmad Ghaddar e Rania El Gamal
·2 minuto de leitura
Logo da Opep

Por Alex Lawler e Ahmad Ghaddar e Rania El Gamal

LONDRES/DUBAI (Reuters) - Os Estados Unidos disseram em uma ligação telefônica com a Arábia Saudita que os preços de energia devem ser mantidos em níveis acessíveis para os consumidores, com a administração do presidente Joe Biden retomando a prática de Donald Trump de ligar para a líder da Opep para queixas sobre preços.

A secretária de Energia dos EUA, Jennifer Granholm, disse no Twitter que conversou com o ministro de Energia saudita, príncipe Abdulaziz Bin Salman.

"Nós reafirmamos a importância da cooperação internacional para garantir preços acessíveis e fontes confiáveis de energia para os consumidores", escreveu ela, potencialmente dando uma razão adicional para o grupo considerar um aumento de oferta.

Os preços do petróleo Brent, referência internacional, operavam acima dos 63 dólares nesta quinta-feira, com alta de mais de 20% desde o início de 2021 e perto de máximas do ano.

A Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep) e aliados, conhecidos como Opep+, cortaram a produção em quase 7 milhões de barris por dia para apoiar os preços. Além disso, os sauditas têm reduzido voluntariamente sua oferta em 1 milhão de bpd.

A Opep+ vai se reunir nesta quinta-feira, com início das conversas agendado para 10 horas (horário de Brasília). "Ainda não há um retrato claro (sobre a decisão)", disse uma fonte.

Às vésperas da reunião, representantes da Opep+ disseram que o grupo provavelmente manterá a maior parte de suas restrições de oferta em vigor, dadas as fracas perspectivas de demanda em meio a novos "lockdowns" contra o coronavírus.

Mas o humor mudou nas últimas 24 horas, como o grupo agora entre uma prorrogação dos cortes e um aumento de oferta, segundo três fontes da Opep+. O aumento poderia ser de 0,5 milhão de bpd, disseram duas dessas fontes.

Ainda não está claro se a ligação da secretária dos EUA influenciou na mudança.

Trump usou repetidamente sua influência para forçar a Arábia Saudita a ajudar sua política de produção de petróleo. Quando os preços subiram, ele insistia para que a Opep aumentasse a oferta.

Quando os preços tiveram um colapso no ano passado, devido à pandemia, Trump ligou para Arábia Saudita e Rússia e pressionou para um acordo para cortes recordes de produção que ajudaram a proteger a indústria de "shale" dos EUA.