Mercado abrirá em 8 h 59 min

EUA vão enviar autoridade à Arábia Saudita para tentar conter guerra de preços no petróleo

.

WASHINGTON (Reuters) - Os Estados Unidos acreditam que a inundação promovida pela Arábia Saudita nos mercados globais de petróleo agrava o colapso econômico mundial em um momento de crise causada pelo coronavírus, e pretendem enviar uma autoridade sênior a Riad para ampliar esforços pela estabilização dos mercados de energia, disseram membros do governo norte-americano nesta sexta-feira.

O Departamento de Energia dos EUA vai trabalhar de perto com o Departamento de Estado norte-americano e com um já existente adido para o setor por pelo menos alguns meses, afirmaram as autoridades, que falaram em condição de anonimato.

Arábia Saudita e Rússia travam uma guerra por fatias do mercado global de petróleo desde o colapso do acordo que mantiveram por três anos para cortes de produção.

O embate de preços ocorre em um momento de demanda global severamente reduzida por causa da propagação do coronavírus. O excesso de oferta e a fraca demanda levaram os preços da commodity a mínimas de quase 20 anos nesta semana.

As autoridades disseram que o governo Donald Trump continuará reduzindo a produção global de petróleo por meio da aplicação de sanções àqueles que considera "maus atores", como Irã e Venezuela --ambos membros da Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep)-, e às suas redes de transporte.

Eles disseram que haverá sanções ao envolvimento da Rússia no suporte ao petróleo venezuelano. Recentemente, o governo dos EUA já impôs sanções a duas unidades da petroleira estatal russa Rosneft por causa do apoio à Venezuela.

(Reportagem de Timothy Gardner)