Mercado abrirá em 9 h 51 min
  • BOVESPA

    102.224,26
    -3.586,74 (-3,39%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    49.492,52
    -1.132,48 (-2,24%)
     
  • PETROLEO CRU

    71,66
    +3,51 (+5,15%)
     
  • OURO

    1.797,00
    +8,90 (+0,50%)
     
  • BTC-USD

    57.697,92
    +3.364,19 (+6,19%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.439,68
    -15,73 (-1,08%)
     
  • S&P500

    4.594,62
    -106,84 (-2,27%)
     
  • DOW JONES

    34.899,34
    -905,06 (-2,53%)
     
  • FTSE

    7.044,03
    -266,34 (-3,64%)
     
  • HANG SENG

    24.075,81
    -4,71 (-0,02%)
     
  • NIKKEI

    28.660,73
    -90,89 (-0,32%)
     
  • NASDAQ

    16.235,50
    +184,50 (+1,15%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,2984
    -0,0501 (-0,79%)
     

EUA suspenderão restrições em 8 de novembro para entrada de estrangeiros vacinados

·1 min de leitura
Passageira chega ao aeroporto internacional John F. Kennedy de Nova York

Por David Shepardson

WASHINGTON (Reuters) - A Casa Branca suspendeu as restrições de entrada nos Estados Unidos para visitantes internacionais totalmente vacinados a partir de 8 de novembro, encerrando um controle histórico que impediu grande parte do mundo de entrar nos Estados Unidos por até 21 meses por conta da Covid-19.

As restrições de viagens sem precedentes mantiveram milhões de visitantes de China, Canadá, México, Índia, Brasil, grande parte da Europa e outros lugares sem conseguir entrar nos EUA; encolheram o turismo nos EUA; e prejudicaram as economias das comunidades fronteiriças. Elas ainda impediram que muitos entes queridos e trabalhadores estrangeiros se reunissem com suas famílias.

Os aliados dos EUA pressionaram fortemente o governo Biden para suspender as regras. Muitos elogiaram o anúncio de sexta-feira, incluindo a embaixadora da Suécia nos Estados Unidos, Karin Olofsdotter, que o chamou de "notícia muito bem-vinda".

O porta-voz da Casa Branca Kevin Munoz confirmou a data de 8 de novembro no Twitter, acrescentando que a política "é guiada pela saúde pública, é rigorosa e consistente".

Restrições a cidadãos não americanos foram impostas aos viajantes aéreos da China em janeiro de 2020 pelo então presidente Donald Trump e depois estendidas a dezenas de outros países, sem nenhum padrão claro de como e quando seriam suspensas.

Limitações para viajantes não essenciais nas fronteiras terrestres com o México e o Canadá estão em vigor desde março de 2020 para lidar com a pandemia de Covid-19.

A Reuters antecipou mais cedo o anúncio desta sexta-feira sobre a data de 8 de novembro.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos