Mercado fechado
  • BOVESPA

    106.296,18
    -1.438,83 (-1,34%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.889,66
    -130,39 (-0,25%)
     
  • PETROLEO CRU

    83,98
    +1,48 (+1,79%)
     
  • OURO

    1.793,10
    +11,20 (+0,63%)
     
  • BTC-USD

    60.970,52
    -1.945,87 (-3,09%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.453,34
    -49,69 (-3,31%)
     
  • S&P500

    4.544,90
    -4,88 (-0,11%)
     
  • DOW JONES

    35.677,02
    +73,94 (+0,21%)
     
  • FTSE

    7.204,55
    +14,25 (+0,20%)
     
  • HANG SENG

    26.126,93
    +109,40 (+0,42%)
     
  • NIKKEI

    28.804,85
    +96,27 (+0,34%)
     
  • NASDAQ

    15.324,00
    -154,75 (-1,00%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,5808
    -0,0002 (-0,00%)
     

Com 2 mil mortes diárias por covid, EUA revogam restrição a viajantes do Brasil

·2 minuto de leitura
Funcionário da American Airlines de máscara atrás de balcão da companhia
Turistas brasileiros não precisarão mais fazer quarentena em um terceiro país

O governo dos Estados Unidos anunciou nesta segunda-feira (20/9) que revogará a restrição de entrada no país a viajantes brasileiros, em vigor desde maio de 2020.

O coordenador de resposta ao coronavírus da Casa Branca, Jeff Zients, afirmou que a comprovação de vacina será pedida aos viajantes antes do embarque, no momento da apresentação do passaporte e do visto à companhia aérea.

"Cidadãos estrangeiros vindo aos Estados Unidos deverão estar totalmente vacinados e apresentar prova disso antes de embarcar em um avião com destino aos EUA. As vacinas são a melhor linha de defesa, a melhor ferramenta que temos em nosso arsenal para manter as pessoas seguras", afirmou Zients.

Os EUA enfrentam uma nova onda de contágio e mortes por covid, com a média móvel diária de mortes na faixa das 2 mil, segundo a Universidade Johns Hopkins.

A partir de novembro, brasileiros completamente vacinados poderão ingressar nos EUA sem a necessidade de fazer quarentena de 15 dias em um terceiro país, como acontecia até então.

Agora, bastará que o viajante oriundo do Brasil apresente um teste PCR feito um dia antes e se submeta a um novo exame após a chegada. Não há informações sobre restrição de marcas de vacinas.

A restrição ao Brasil foi levantada junto a de outros 32 países que também tinham viajantes barrados.

Avião voando
Medidas de restrição estavam em vigor há um ano e meio

Essa era uma demanda de meses do governo brasileiro que se tornou ainda mais urgente com o avanço da vacinação no Brasil.

Atualmente, o Brasil já possui mais vacinados com a primeira dose do que os Estados Unidos, embora apenas cerca de 1/3 da população esteja completamente vacinada.

Já nos EUA, metade da população tomou as duas doses ou doses únicas mas a vacinação desacelerou por encontrar desconfiança e recusa em parcela significativa dos cidadãos.

Em Nova York para o discurso de abertura da Assembleia-Geral da ONU, Bolsonaro deverá exaltar o avanço da cobertura vacinal do Brasil e dizer que espera encerrar a completa imunização da maior parte da população até novembro, o que permitiria ao Brasil doar doses a países com escassez na América Latina, como Haiti e Paraguai.

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos