Mercado fechará em 1 h 59 min
  • BOVESPA

    111.821,41
    +2.103,47 (+1,92%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    48.604,87
    +144,32 (+0,30%)
     
  • PETROLEO CRU

    92,41
    -1,93 (-2,05%)
     
  • OURO

    1.816,20
    +9,00 (+0,50%)
     
  • BTC-USD

    24.031,99
    -317,30 (-1,30%)
     
  • CMC Crypto 200

    570,99
    -0,29 (-0,05%)
     
  • S&P500

    4.256,70
    +49,43 (+1,17%)
     
  • DOW JONES

    33.629,09
    +292,42 (+0,88%)
     
  • FTSE

    7.500,89
    +34,98 (+0,47%)
     
  • HANG SENG

    20.175,62
    +93,19 (+0,46%)
     
  • NIKKEI

    28.546,98
    +727,65 (+2,62%)
     
  • NASDAQ

    13.506,00
    +194,75 (+1,46%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,2024
    -0,1213 (-2,28%)
     

EUA repetem forte alta dos juros mesmo sob risco de recessão

SÃO PAULO, SP - WASHINGTON, EUA (FOLHAPRESS) - O Fed (Federal Reserve, o banco central americano) anunciou nesta quarta-feira (27) um novo aumento de 0,75 ponto percentual dos juros, elevando a meta máxima da taxa para 2,5% ao ano.

O foco do aperto ao crédito é combater a inflação nos Estados Unidos, que está na casa dos 9,1%, a maior em quatro décadas. Sinais de que a economia pode desacelerar ao ponto de conduzir o país a uma recessão, porém, levantam discussões sobre a calibragem da política monetária americana.

Até março deste ano, o alvo era uma taxa anual de, no máximo, 0,25%. A rápida aceleração dos últimos quatro meses representa uma das mudanças mais rápidas na política monetária dos EUA. Além disso, o Fed encerrou um programa bilionário de compra de ativos.

Zerar os juros e comprar títulos foram medidas adotadas pela autoridade monetária para estimular a economia americana durante o período em que a pandemia de Covid-19 impunha mais restrições às atividades produtivas.

Desde o ano passado, com o avanço da vacinação permitindo a retomada da circulação de pessoas, o aquecimento do consumo associado a uma política de juros baixos vem fazendo a inflação disparar.

Mas embora tenha havido pouco progresso ainda na luta contra a inflação, sinais de estresse econômico estão se acumulando - e aumentando as apostas para os membros do Fed conforme eles avaliam o quanto a política monetária precisa ser apertada para diminuir os aumentos de preços em meio ao risco de que ir longe demais poderia desencadear uma recessão.

Com Reuters e AFP

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos