Mercado fechado
  • BOVESPA

    120.061,99
    -871,79 (-0,72%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    48.867,62
    +338,65 (+0,70%)
     
  • PETROLEO CRU

    60,83
    -0,52 (-0,85%)
     
  • OURO

    1.796,00
    +2,90 (+0,16%)
     
  • BTC-USD

    52.712,85
    -2.983,18 (-5,36%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.218,19
    -44,77 (-3,54%)
     
  • S&P500

    4.173,42
    +38,48 (+0,93%)
     
  • DOW JONES

    34.137,31
    +316,01 (+0,93%)
     
  • FTSE

    6.895,29
    +35,42 (+0,52%)
     
  • HANG SENG

    28.654,41
    +32,49 (+0,11%)
     
  • NIKKEI

    29.049,26
    +540,71 (+1,90%)
     
  • NASDAQ

    13.896,00
    -23,25 (-0,17%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,7071
    +0,0051 (+0,08%)
     

EUA queriam usar 520 bombas atômicas para cavar alternativa ao Canal de Suez

Marcus Couto
·1 minuto de leitura
Um cogumelo de fumaça resultante de uma explosão atômica emerge de um deserto arenoso; o céu azul ao fundo.
Imitação de uma explosão atômica. (Foto: Getty Images)
  • Um plano secreto dos Estados Unidos considerou usar bombas atômicas para abrir uma alternativa ao Canal de Suez.

  • Ideia, estabelecida nos anos 1960, foi tornada pública nos anos 1990.

  • Plano era usar 520 bombas atômicas para abrir um canal alternativo no território de Israel.

Nos anos 1960, um plano secreto dos Estados Unidos estimava a possibilidade de usar 520 bombas atômicas para construir uma alternativa ao Canal de Suez.

Leia também:

Mas o plano – muito possivelmente por conta de seus meios perigosos – nunca foi realizado. A ideia era “simples”: explodir os 520 artefatos nucleares para fazer uma “escavação atômica” de mais de 250 quilômetros dentro do território de Israel.

Baixe o app do Yahoo Mail em menos de 1 min e receba todos os seus emails em 1 só lugar

Siga o Yahoo Finanças no Google News

A história voltou à tona essa semana no Twitter, com o bloqueio que um navio de carga encalhado está causando no Canal de Suez, uma das rotas marítimas mais importantes do mundo, em sua ligação entre o Mar Vermelho e o Mediterrâneo.

Este conteúdo não está disponível devido às suas preferências de privacidade.
Para vê-los, atualize suas configurações aqui.

Segundo especialistas, por conta do tamanho do navio, é possível que o desencalhe ocorra apenas em semanas, se tudo der certo. Isso tem causado um engarrafamento no importante canal.

O plano atômico dos anos 1960 foi resgatado pelo historiador Alex Wellerstein. O documento, do departamento de energia dos Estados Unidos, foi tornado público nos anos 1990.

As informações são do Business Insider.

Assine agora a newsletter Yahoo em 3 Minutos

Siga o Yahoo Finanças no Instagram, Facebook, Twitter e YouTube