Mercado fechará em 5 h 25 min

EUA quer "reiniciar" a OMC

(Arquivo) Representante comercial dos Estados Unidos, Robert Lighthizer

Os Estados Unidos acreditam que chegou o momento de "reiniciar" a Organização Mundial do Comércio (OMC), cujas resoluções em matéria de tarifas alfandegárias estão desactualizadas, considerou nesta quarta-feira o representante de Comércio americano.

"Hoje, as atuais resoluções tarifárias estão desatualizadas e não refletem mais as decisões políticas dos países membros e as condições econômicas dos membros", disse Robert Lighthizer, de acordo com o testemunho sobre a agenda comercial de Trump que ele apresentará aos comitês da Câmara e do Senado.

"Como resultado, muitos países com grandes economias desenvolvidas mantêm tarifas muito altas, muito mais altas que as aplicadas pelos Estados Unidos", afirmou.

O governo Donald Trump procura "garantir" que as tarifas reflitam as realidades econômicas atuais "para proteger" os exportadores e trabalhadores americanos, disse.

Trump denuncia constantemente o tratamento "injusto" da instituição em relação aos Estados Unidos, particularmente na resolução de disputas comerciais.

"A OMC tem tratado efetivamente uma das economias mais livres e abertas, com um enorme déficit comercial, como o maior abusador comercial do mundo", criticou Lighthizer.

"Até o momento, mais de 150 casos foram movidos contra os Estados Unidos na OMC, enquanto nenhum outro membro enfrentou cem. Pior ainda, até 90% dessas disputas resultaram em um relatório que apontou os Estados Unidos eram ao menos parcialmente culpado", reclamou.

Em janeiro, Trump anunciou que o começo de negociações para reformar a OMC, árbitro global de comércio.

Desde 11 de dezembro, o Tribunal de Apelações do Órgão de Solução de Controvérsias (OSC) não funciona mais devido ao bloqueio de Washington às nomeações dos juízes.

A fim de contornar esse bloqueio americano, em meados de abril, os países da União Europeia autorizaram o estabelecimento de uma Corte de Apelação temporária para resolver disputas comerciais.

O secretário de Comércio dos EUA, Wilbur Ross, disse na quarta-feira que o objetivo final de Trump é cortar tarifas.

"O presidente sempre teve a ideia de que as tarifas deveriam ser recíprocas. Se algum país nos cobra x, não devemos cobrar apenas uma fração disso. No entanto, seu verdadeiro objetivo é reduzi-las em todos os lugares", afirmou ele na Fox Business Network.

"O verdadeiro problema é tornar outros países menos protecionistas".