Mercado fechado
  • BOVESPA

    106.667,66
    +293,79 (+0,28%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    53.232,20
    -741,07 (-1,37%)
     
  • PETROLEO CRU

    86,85
    +1,42 (+1,66%)
     
  • OURO

    1.813,60
    +1,20 (+0,07%)
     
  • BTC-USD

    42.219,20
    -188,69 (-0,44%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.005,83
    -3,55 (-0,35%)
     
  • S&P500

    4.577,11
    -85,74 (-1,84%)
     
  • DOW JONES

    35.368,47
    -543,34 (-1,51%)
     
  • FTSE

    7.563,55
    -47,68 (-0,63%)
     
  • HANG SENG

    24.112,78
    -105,25 (-0,43%)
     
  • NIKKEI

    27.785,46
    -471,79 (-1,67%)
     
  • NASDAQ

    15.184,25
    -21,75 (-0,14%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,3120
    +0,0049 (+0,08%)
     

EUA prometem novas medidas ante problemas de abastecimento

·1 min de leitura
O conselheiro Brian Deese participa de entrevista coletiva na Casa Branca (AFP/Nicholas Kamm)

A Casa Branca anunciou nesta quarta-feira que tomará novas medidas este mês para reduzir os problemas de congestionamento nos portos americanos.

"Constatamos progressos muito importantes nos portos, com uma redução de 40% no tempo de permanência dos contêineres no porto", declarou o conselheiro Brian Deese em entrevista coletiva.

O governo Biden impulsionou em outubro a operação 24 horas do porto de Los Angeles, o mais importante dos Estados Unidos, para agilizar o desembarque de mercadorias e reduzir a fila de espera dos navios. Em novembro, os portos de Los Angeles e Long Beach impuseram uma taxa às transportadoras marítimas por carregamentos que levaram mais de oito dias.

"Ainda este mês, tomaremos medidas complementares junto aos portos do país, a fim de encontrar novos locais para levar os produtos e impor novas taxas sobre os contêineres vazios que estão ociosos em nossos portos. O governo Biden acredita que é "a melhor forma de ajudar a expandir a capacidade da economia de fornecer bens e serviços ao povo americano".

Deese também estimou que o país "se encontra em uma situação econômica única e sólida em muitos aspectos", mas reconheceu que deve-se combater a inflação, atualmente em um nível inédito desde junho de 1982. "Nosso objetivo agora é avaliar em que momento estamos e tentar resolver os problemas que enfrentamos, a fim de tentar acelerar o curso da recuperação econômica", acrescentou.

Dt/vmt/dl/gm/lb

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos