EUA precisam de agenda ampla, diz Summers

Os Estados Unidos precisam de uma agenda mais ampla e mais centrada no crescimento para impulsionar a economia, avalia o economista Lawrence Summers, ex-secretário do Tesouro, em artigo publicado neste domingo no site do jornal Financial Times.

Pouco antes do discurso do presidente Barack Obama no Estado da União, na próxima terça-feira, Summers, que também foi diretor do Conselho Econômico Nacional do atual governo até o final de 2010, diz que crescimento e criação de empregos continuam sendo o desafio mais sério da nação

Os EUA cresceram 1,5% em 2012 e, na semana passada, o independente Escritório de Gestão e Orçamento estimou que o crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) americano será de apenas 1,4% em 2013 e que a taxa de desemprego deve subir. O escritório disse ainda que a economia deve acelerar a partir de 2014, mas que ainda assim a taxa de desemprego ficará acima de 7% até 2016.

Diz Summers em seu artigo: "A fraca economia e a limitada criação de empregos torna impossível o crescimento da renda na classe média, pressiona os orçamentos ao restringir a receita de impostos e ameaça os investimentos público e privados em educação e inovação. Pior, mina o exemplo americano num momento perigoso para o mundo. Podemos fazer melhor".

Para o economista, EUA podem entrar logo em um ciclo virtuoso de confiança, crescimento e redução do déficit, como ocorreu nos anos 1990. "Mas isso requer avançar no debate econômico nacional para além da preocupação com as restrições do orçamento federal", explica.

Summers admite que contenção fiscal no médio prazo é necessária para limitar os riscos financeiros, mas não é o suficiente. "É preciso uma agenda mais ampla para impulsionar a economia".

Carregando...