Mercado abrirá em 3 h 23 min
  • BOVESPA

    108.095,53
    +537,86 (+0,50%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.056,27
    +137,99 (+0,27%)
     
  • PETROLEO CRU

    72,43
    +0,07 (+0,10%)
     
  • OURO

    1.786,90
    +1,40 (+0,08%)
     
  • BTC-USD

    49.652,82
    -781,99 (-1,55%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.299,23
    -5,89 (-0,45%)
     
  • S&P500

    4.701,21
    +14,46 (+0,31%)
     
  • DOW JONES

    35.754,75
    +35,32 (+0,10%)
     
  • FTSE

    7.360,04
    +22,99 (+0,31%)
     
  • HANG SENG

    24.254,86
    +257,99 (+1,08%)
     
  • NIKKEI

    28.725,47
    -135,15 (-0,47%)
     
  • NASDAQ

    16.377,00
    -15,25 (-0,09%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,2698
    -0,0043 (-0,07%)
     

EUA permite entrada de estrangeiros e eleva perspectiva de demanda por combustíveis

·2 min de leitura

A partir de hoje (8/11), os Estados Unidos admitirão a entrada de estrangeiros totalmente vacinados contra a Covid-19.

Vale destacar que todas as vacinas aplicadas no Brasil serão aceitas pelas autoridades americanas.

Com a queda das restrições é esperado que haja um aumento na demanda por voos e também de combustíveis pelas empresas do setor de aviação. 

De acordo com dados da Rystad Energy, a demanda de combustível de aviação na Europa está em cerca de 72% dos níveis pré-COVID. Porém, o volume demandado vem crescendo pela terceira semana consecutiva, quando em tempos pré-COVID normalmente experimentaria um declínio sazonal.

Os preços do combustível para aviões de carga no noroeste da Europa subiram cerca de 30% desde meados de agosto e estavam sendo negociados a US $ 734,50 a tonelada em 4 de novembro, de acordo com avaliações da Reuters.

Fim das restrições e demanda por combustíveis

Além dos Estados Unidos, outros países que anunciaram planos para suspender as restrições extraordinárias aos voos internacionais incluem os principais destinos turísticos da Tailândia, o centro de viagens asiático Cingapura e Israel.

Na Europa, as viagens aéreas aumentaram nos últimos meses e, à medida que as restrições do COVID são relaxadas, um número cada vez maior de europeus está reservando voos para fora de seu continente.

Em busca de sinais de que a demanda está realmente decolando, os traders dizem que estão observando a rapidez com que as companhias aéreas ocupam assentos e acrescentam voos adicionais em rotas internacionais.

Nos Estados Unidos, os consumidores estão fazendo mais voos domésticos e as reservas aumentaram à medida que a distribuição da vacina começa para crianças de 5 a 11 anos.

De acordo com analistas da TPH, a demanda por gasolina e diesel nos Estados Unidos está em 99%e 93% dos níveis de 2019, respectivamente, enquanto o combustível para aviação está em 80%.

Pressão sobre o petróleo

O fim das restrições de voos pode gerar mais pressão sobre a demanda de petróleo.

Os mercados de petróleo bruto começaram a semana mais fortes, principalmente depois que a aliança OPEP+ resistiu aos apelos por maiores aumentos na produção para dezembro durante a reunião de 4 de novembro.

Na ocasião, o grupo decidiu reiterar os planos de aumentar a produção nos meses seguintes em 400 mil barris por dia.

Outro fato relevante é a fala do chefe da Vitol na Ásia, Mike Muller, sobre os estoques globais de petróleo. Segundo ele, os estoques em 7 de novembro caíram para níveis pré-pandêmicos e podem enfrentar mais aperto já que a capacidade sobressalente da OPEP+ se aproxima de um nível crítico em meados do próximo ano.

Agora pela manhã, os futuros do petróleo Brent sobem 1,27%, cotado a US$84,097.

This article was originally posted on FX Empire

More From FXEMPIRE:

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos