Mercado fechado
  • BOVESPA

    115.202,23
    +2.512,05 (+2,23%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    46.342,54
    +338,35 (+0,74%)
     
  • PETROLEO CRU

    66,28
    +2,45 (+3,84%)
     
  • OURO

    1.698,20
    -2,50 (-0,15%)
     
  • BTC-USD

    49.640,98
    +1.018,16 (+2,09%)
     
  • CMC Crypto 200

    982,93
    +39,75 (+4,21%)
     
  • S&P500

    3.841,94
    +73,47 (+1,95%)
     
  • DOW JONES

    31.496,30
    +572,16 (+1,85%)
     
  • FTSE

    6.630,52
    -20,36 (-0,31%)
     
  • HANG SENG

    29.098,29
    -138,51 (-0,47%)
     
  • NIKKEI

    28.864,32
    -65,78 (-0,23%)
     
  • NASDAQ

    12.652,50
    +197,50 (+1,59%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,7780
    -0,0079 (-0,12%)
     

EUA pedem imunidade a Trump em processo de mulher que o acusa de estupro

Jonathan Stempel
·1 minuto de leitura
Presidente dos EUA, Donald Trump

Por Jonathan Stempel

NOVA YORK (Reuters) - O governo dos Estados Unidos afirmou nesta sexta-feira que o presidente Donald Trump não deveria ser forçado a se defender de um processo de difamação da autora E. Jean Carroll, que o acusou de ter cometido estupro 25 anos atrás, e que deveria ser substituído como réu.

Em uma ação na segunda Corte Federal de Apelações de Manhattan, o Departamento de Justiça disse que Trump se qualifica como um típico “funcionário do governo”, com direito a imunidade pela lei federal contra as alegações de Carroll, e que também está protegido porque falou com ela como presidente.

A lei “fornece uma ampla concessão de imunidade” a Trump, disse o Departamento de Justiça, ecoando argumentos que o presidente articulou em outro processo.

Carroll, ex-colunista da revista Elle, processou Trump em novembro de 2019 depois de ele negar tê-la estuprado em uma loja de departamentos de Manhattan em meados dos anos 1990. Trump disse que Carroll inventou a história para vender um novo livro e acrescentou: “Ela não é o meu tipo”.

Um advogado de Carroll não comentou imediatamente porque ainda precisa analisar a ação.