Mercado fechado
  • BOVESPA

    108.095,53
    +537,86 (+0,50%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.056,27
    +137,99 (+0,27%)
     
  • PETROLEO CRU

    72,71
    +0,66 (+0,92%)
     
  • OURO

    1.783,70
    -1,00 (-0,06%)
     
  • BTC-USD

    50.655,67
    +118,54 (+0,23%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.320,56
    +15,44 (+1,18%)
     
  • S&P500

    4.701,21
    +14,46 (+0,31%)
     
  • DOW JONES

    35.754,75
    +35,32 (+0,10%)
     
  • FTSE

    7.337,05
    -2,85 (-0,04%)
     
  • HANG SENG

    23.996,87
    +13,21 (+0,06%)
     
  • NIKKEI

    28.860,62
    +405,02 (+1,42%)
     
  • NASDAQ

    16.383,00
    +65,00 (+0,40%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,2827
    -0,0570 (-0,90%)
     

EUA oferecem US$ 10 milhões por informações do grupo de ransomware DarkSide

·2 min de leitura

E o cerco do governo estadunidense contra criminosos virtuais vai aumentando. Na quinta-feira (04), o Departamento de Estado dos Estados Unidos anunciou uma recompensa de até US$ 10 milhões (R$ 55,2 milhões, na conversão atual) por informações sobre a localização ou identidade de membros importantes do grupo de sequestro virtual (ransomware) Darkside, que segundo o FBI tem conexões com a Rússia.

Segundo o FBI, o grupo DarkSide foi responsável pelo ataque sofrido em maio pela Colonial Pipeline, maior operadora de dutos dos EUA, que causou um acréscimo temporário no preço da gasolina, além de falta de combustível na região sudeste do país.

Além da recompensa de até US$ 10 milhões, o Departamento de Estado dos EUA também anunciou que pagará até US$ 5 milhões (R$ 27 milhões) por informações que levem a prisão ou condenação de pessoas envolvidas em incidentes de ransomware do grupo DarkSide.

Mais um capítulo na luta pela cibersegurança

Desde o começo de 2021 os EUA têm tomado ações mais severas contra os ataques ransomware, com essa união entre os 30 países sendo o exemplo mais recente.

Em maio, Joe Biden assinou uma ordem executiva visando melhorar a cibersegurança dos EUA. A ordem exigia que todas as empresas que oferecem soluções de segurança ao governo passem a adotar os mesmos padrões, e que fornecedores passem a informar aos órgãos contratantes quaisquer brechas e falhas encontradas em seus sistemas assim que elas forem descobertas.

Pouco depois, em junho, o Departamento de Justiça (DoJ, na sigla em inglês) dos EUA decidiu considerar como prioridade a investigação de ataques envolvendo ransomware, além de considerar esses crimes virtuais como equivalentes a atos de terrorismo.

Recentemente, órgãos dos EUA começaram a divulgar guias com dicas de como empresas e usuários podem se proteger de ataques digitais, como parte da iniciativa de aumentar a cibersegurança do país.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech:

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos