Mercado fechado
  • BOVESPA

    105.069,69
    +603,45 (+0,58%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    50.597,29
    -330,09 (-0,65%)
     
  • PETROLEO CRU

    66,22
    -0,28 (-0,42%)
     
  • OURO

    1.782,10
    +21,40 (+1,22%)
     
  • BTC-USD

    47.101,91
    -9.693,14 (-17,07%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.367,14
    -74,62 (-5,18%)
     
  • S&P500

    4.538,43
    -38,67 (-0,84%)
     
  • DOW JONES

    34.580,08
    -59,71 (-0,17%)
     
  • FTSE

    7.122,32
    -6,89 (-0,10%)
     
  • HANG SENG

    23.766,69
    -22,24 (-0,09%)
     
  • NIKKEI

    28.029,57
    +276,20 (+1,00%)
     
  • NASDAQ

    15.687,50
    -301,00 (-1,88%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,3953
    +0,0151 (+0,24%)
     

EUA oferecem salário de vice-presidente a especialistas em cibersegurança

·2 min de leitura

O Departamento de Segurança Nacional (DHS, na sigla em inglês) do governo dos EUA anunciou nesta terça-feira (16) um programa de recrutamento de profissionais de cibersegurança. O objetivo é contratar 150 especialistas até o final de 2022 para o que a administração chama de “papeis prioritários”, focados no combate a ataques cibernéticos focados, principalmente, em infraestruturas nacionais críticas.

O chamado Sistema de Gerenciamento de Talentos em Cibersegurança (CTMS, na sigla em inglês) é uma resposta à já mencionada crise no mercado de segurança digital, com escassez de profissionais gabaritados e baixos salários. A ideia do governo é mudar esse cenário, mantendo um registro de interessados em trabalhar para o Departamento de Segurança Nacional e tornar o processo de contratação mais assertivo e rápido, de acordo com as capacidades e competitividade de salários dos especialistas.

Em alguns casos, os pagamentos podem chegar a US$ 255,8 mil ao ano, semelhantes ao salário do vice-presidente dos Estados Unidos em 2021, mas com uma extensão possível, em casos específicos, que podem levar o valor até US$ 332,1 mil por ano. Entre os trabalhadores buscados estão especialistas em análise e resposta a incidentes cibernéticos, engenheiros de rede e sistema, profissionais de consultoria em inteligência, investigação, computação forense e qualidade de softwares, assim como os focados em monitoramento e localização de vulnerabilidades.

De acordo com o Departamento de Segurança Nacional, se trata da maior mudança em sua história no que toca o processo de recrutamento e contratação de profissionais. Um fruto do nosso tempo, no qual a demanda por especialistas aumentou vertiginosa, mas não de forma a acompanhar o crescimento no volume de ataques, com os golpes envolvendo empresas de alimento, energia e telecomunicações, entre outros setores essenciais, sendo motivo de atenção adicional do governo.

O lançamento do CTMS também faz parte da promessa do presidente americano Joe Biden, de que a segurança digital seria sua principal prioridade. Entre as medidas estão o envolvimento direto em investigações de ataques contra os sistemas do SolarWinds e do Microsoft Exchange, por exemplo, uma elevação no status de importância da Agência de Cibersegurança e Infraestrutura (CISA, na sigla em inglês) e até comentários sobre a possibilidade de crimes digitais se tornarem análogos ao terrorismo.

Os registros para as vagas, assim como maiores detalhes sobre atribuições e especialistas procurados, podem ser feitos pelo site do Departamento de Segurança Nacional do Governo dos EUA. Há aberturas desde programas estudantis até profissionais de nível pleno, além de oportunidades voltadas a veteranos de guerra.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech:

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos