Mercado fechado
  • BOVESPA

    108.451,20
    +74,85 (+0,07%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    45.442,21
    +436,10 (+0,97%)
     
  • PETROLEO CRU

    81,88
    -0,27 (-0,33%)
     
  • OURO

    1.668,50
    -1,50 (-0,09%)
     
  • BTC-USD

    19.614,31
    +614,16 (+3,23%)
     
  • CMC Crypto 200

    447,10
    +18,32 (+4,27%)
     
  • S&P500

    3.719,04
    +71,75 (+1,97%)
     
  • DOW JONES

    29.683,74
    +548,75 (+1,88%)
     
  • FTSE

    7.005,39
    +20,80 (+0,30%)
     
  • HANG SENG

    17.250,88
    -609,43 (-3,41%)
     
  • NIKKEI

    26.173,98
    -397,89 (-1,50%)
     
  • NASDAQ

    11.539,25
    +205,50 (+1,81%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,2326
    +0,0727 (+1,41%)
     

EUA oferecem até US$ 10 milhões para hackers que ajudem a identificar ameaças

·2 min de leitura

Intensificando suas medidas de proteção à infraestrutura e empresas locais, o governo dos Estados Unidos anunciou esta semana um novo sistema de recompensa que promete pagar até US$ 10 milhões (R$ 52,9 milhões) para hackers White Hat — os chamados "hackers éticos", do bem". A intenção é contar com o conhecimento técnico desses agentes para identificar falhas de segurança graves e corrigi-las antes que elas se tornem foco de novos ataques.

O novo programa, iniciado pelo Departamento de Justiça (DoJ, na sigla em inglês) promete recompensas para “informações que levem à identificação e localização de pessoas que, agindo sob a direção ou controle de um governo estrangeiro, participe em atividades maliciosas contra infraestruturas críticas dos Estados Unidos”. Além de pagamentos em dinheiro, o governo também oferece realocação para pessoas que podem sofrer ameaças como consequência de suas denúncias.

Imagem: Divulgação/Joffi/Pixabay
Imagem: Divulgação/Joffi/Pixabay

Todas as contribuições ao novo programa poderão ser feitas através de uma página específica na dark web, que promete manter o anonimato dos participantes. No entanto, até o momento o DoJ não informou quanto vai pagar por cada ameaça apontada, tampouco quais serão os critérios adotados para definir as contribuições que julga válidas ou não.

Reforço à segurança nacional

O programa de recompensas surge como uma resposta da administração de Joe Biden aos ataques de ransomware realizados contra empresas como a Colonial Pipelines e, mais recentemente, contra a Kaseya. Em maio deste ano, o presidente assinou uma ordem executiva em que determinou que fornecedores de segurança dos Estados Unidos devem passar a adotar padrões em comum e adotar uma postura proativa no combate a ameaças virtuais.

Considerados por muitos como o “sistema imunológico” da internet, os hackers White Hat adotam métodos semelhantes aos de cibercriminosos mas, em vez de usar brechas de segurança a seu favor, contribuem com empresas e desenvolvedores para corrigi-las. Esta semana, um hacker do tipo invadiu os sistemas da plataforma Poly Network e desviou R$ 3,1 bilhões em moedas virtuais para mostrar as vulnerabilidades existentes nela — após devolver os valores roubados, ele foi recompensado em R$ 2,6 milhões por suas contribuições.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech: