Mercado abrirá em 2 h 25 min

EUA movem novos processos contra a Huawei para forçar extradição de executiva

Claudio Yuge

Meng Wanzhou, CFO global da Huawei e filha do cofundador da empresa, foi presa no Canadá em 2018, acusada pelo governo Trump de fraude e outras violações. Ela passou alguns dias detida no final daquele ano e atualmente vive em uma mansão em Vancouver, enquanto responde ao processo, que pode extraditá-la para o solo ianque. Em janeiro, ela apresentou sua defesa em uma audiência e o caso deve se arrastar até setembro ou outubro. Mas o Departamento de Justiça dos Estados Unidos não vai deixar isso barato.

O órgão protocolou novas ações nesta quinta-feira (13) para acelerar o processo, indiciando Meng por extorsão e conspiração para roubar segredos comerciais norte-americanos. Agora, são 16 acusações semelhantes contra a executiva. Em seu comunicado à imprensa, o Departamento de Justiça dos Estados Unidos diz que a Huawei e sua CFO vêm se articulando para obter ilegalmente as propriedades intelectuais de companhias estadunidenses há 20 anos, incluindo “código-fonte e manuais do usuário para roteadores da Internet, tecnologia de antena e de teste de robô”.

Meng Wanzhou, na última audiência (Imagem: Reprodução/Reuters)

Segundo o documento, a Huawei firmou uma série de acordos confidenciais com grupos norte-americanos para atingir seus objetivos, e colaborou com países como Coreia do Norte e Irã, que atualmente sofrem sanções dos Estados Unidos e da Europa. “Os esforços da Huawei para roubar segredos comerciais e outras sofisticadas tecnologias dos Estados Unidos foram bem-sucedidas. A Huawei conseguiu reduzir drasticamente seus custos de pesquisa e desenvolvimento e os possíveis atrasos, dando à empresa uma vantagem competitiva significativa e injusta”, destaca o departamento.

Huawei responde

A gigante chinesa enviou uma nota sobre essas novas acusações ao The Verge. "A 'empresa de extorsão' que o governo acusou hoje está observando uma embalagem artificial de um punhado de acusações civis com quase 20 anos de idade. O governo não prevalecerá sobre essas acusações, que consideramos infundadas e injustas”, disse um porta-voz da Huawei.

A administração de Donald Trump vem pressionando a Huawei por todos os lado. Nesta semana, o The Wall Street Journal disse que as autoridades estadunidenses têm provas de que a Huawei mantém acesso secreto às suas redes de telefonia.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech: