Mercado fechado
  • BOVESPA

    125.052,78
    -1.093,88 (-0,87%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    50.268,45
    +27,94 (+0,06%)
     
  • PETROLEO CRU

    72,17
    +0,26 (+0,36%)
     
  • OURO

    1.802,10
    -3,30 (-0,18%)
     
  • BTC-USD

    34.230,72
    +625,16 (+1,86%)
     
  • CMC Crypto 200

    786,33
    -7,40 (-0,93%)
     
  • S&P500

    4.411,79
    +44,31 (+1,01%)
     
  • DOW JONES

    35.061,55
    +238,20 (+0,68%)
     
  • FTSE

    7.027,58
    +59,28 (+0,85%)
     
  • HANG SENG

    27.321,98
    -401,86 (-1,45%)
     
  • NIKKEI

    27.548,00
    +159,80 (+0,58%)
     
  • NASDAQ

    15.091,25
    +162,75 (+1,09%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,1216
    +0,0014 (+0,02%)
     

EUA mantêm viva ameaça tarifária para impostos discriminatórios e avalia inflação, diz Yellen

·2 minuto de leitura
A secretária do Tesouro dos Estados Unidos, Janet Yellen. 05/03/2021. REUTERS/Tom Brenner.

Por Andrea Shalal

WASHINGTON (Reuters) - Os Estados Unidos estão buscando todas as vias possíveis para garantir que os países suspendam ou reduzam os impostos discriminatórios sobre serviços digitais, mas manterão tarifas como uma opção se isso não acontecer, disse a secretária do Tesouro dos Estados Unidos, Janet Yellen, nesta quarta-feira.

Yellen afirmou ao Comitê de Finanças do Senado norte-americano que teve conversas bilaterais "muito construtivas" com o ministro das finanças irlandês sobre o assunto, e acredita que toda a União Europeia acabará apoiando um aumento nos impostos mínimos globais, conforme proposto pelos Estados Unidos.

Ela disse esperar avanços na questão tributária --que está sendo negociada sob a liderança da Organização para a Cooperação e Desenvolvimento (OCDE)-- até o encontro dos líderes do G20, grupo que reúne as 20 principais economias, em outubro.

O presidente dos EUA, Joe Biden, e outros líderes do G7 endossaram no domingo o compromisso das autoridades financeiras do grupo de trabalharem em direção a um imposto mínimo global, de pelo menos 15%, por meio da estrutura inclusiva do G20/OCDE.

Yellen disse que as medidas dos EUA para aumentar seu imposto corporativo mínimo ajudariam a impulsionar um acordo de base ampla. Ela disse que o país também está propondo mudanças para impedir que empresas estrangeiras que tenham atuação em território norte-americano de transferirem lucros para o exterior.

Questionada sobre o aumento dos preços dos bens de consumo e duráveis, Yellen disse que o governo Biden está monitorando a inflação "com muito cuidado" e leva a questão a sério.

"Ninguém quer voltar aos dias ruins de inflação elevada dos anos 1970", disse Yellen ao comitê.

Ela afirmou que a atual pressão inflacionária reflete a dificuldade de reabrir a economia norte-americana, e o governo Biden também está tomando medidas para lidar com gargalos em certas cadeias de abastecimento que resultaram em preços mais elevados.

(Reportagem adicional de Dan Burns)

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos