Mercado abrirá em 3 h 26 min
  • BOVESPA

    98.672,26
    +591,96 (+0,60%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    47.741,50
    +1.083,60 (+2,32%)
     
  • PETROLEO CRU

    107,14
    -0,48 (-0,45%)
     
  • OURO

    1.840,20
    +9,90 (+0,54%)
     
  • BTC-USD

    21.429,81
    +27,96 (+0,13%)
     
  • CMC Crypto 200

    467,44
    +13,54 (+2,98%)
     
  • S&P500

    3.911,74
    +116,01 (+3,06%)
     
  • DOW JONES

    31.500,68
    +823,28 (+2,68%)
     
  • FTSE

    7.258,10
    +49,29 (+0,68%)
     
  • HANG SENG

    22.229,52
    +510,46 (+2,35%)
     
  • NIKKEI

    26.871,27
    +379,30 (+1,43%)
     
  • NASDAQ

    12.219,50
    +79,00 (+0,65%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,5367
    -0,0157 (-0,28%)
     

EUA inclui intermediários chinês e indiano em novas sanções contra o Irã

Os Estados Unidos impuseram nesta quinta-feira sanções a produtores petroquímicos iranianos, bem como a um intermediário chinês e outro indiano, aumentando a pressão sobre a República Islâmica à medida que as negociações sobre o acordo nuclear de 2015 vacilam.

"Na ausência de um acordo, continuaremos a usar nossa capacidade de definir sanções para limitar as exportações de petróleo, produtos petrolíferos e petroquímicos do Irã", disse Brian Nelson, alto funcionário do Departamento do Tesouro.

O Tesouro, por sua vez, anunciou sanções a uma rede de empresas petroquímicas iranianas, incluindo supostas empresas de fachada na China e nos Emirados Árabes Unidos da estatal de Teerã, e a Triliance, uma empresa com sede em Hong Kong que já está sob sanções dos EUA por seus negócios com o Irã.

Também adotou medidas contra Jeff Gao, corretor com sede na China, e o indiano Mohammad Shaheed Ruknooddin Bhore por supostamente administrar negócios para a Triliance.

Desde 2018, quando o governo do então presidente republicano Donald Trump (2017-2021) se retirou do acordo nuclear de 2015, Washington tenta impedir que qualquer nação compre petróleo do Irã.

A China continua sendo o principal comprador do petróleo iraniano, enquanto a Índia relutantemente encerrou as importações sob pressão dos Estados Unidos.

O presidente Joe Biden, um democrata, disse que seu país retornaria ao acordo de 2015 se o Irã honrasse seus compromissos, mas seu principal negociador estimou recentemente que a diplomacia tem mais probabilidade de falhar nesse objetivo.

Teerã insiste que os Estados Unidos retirem a Guarda Revolucionária - exército ideológico do Irã - de sua lista de organizações terroristas, mas o governo Biden considera que essa é uma questão secundária, que nada tem a ver com as discussões sobre o acordo nuclear entre a República Islâmica e as potências mundiais.

sct/md/dg/llu/mr

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos