Mercado fechado
  • BOVESPA

    122.038,11
    +2.117,50 (+1,77%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    49.249,02
    +314,11 (+0,64%)
     
  • PETROLEO CRU

    64,82
    +0,11 (+0,17%)
     
  • OURO

    1.832,00
    +16,30 (+0,90%)
     
  • BTC-USD

    57.412,08
    +1.064,65 (+1,89%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.480,84
    +45,06 (+3,14%)
     
  • S&P500

    4.232,60
    +30,98 (+0,74%)
     
  • DOW JONES

    34.777,76
    +229,23 (+0,66%)
     
  • FTSE

    7.129,71
    +53,54 (+0,76%)
     
  • HANG SENG

    28.610,65
    -26,81 (-0,09%)
     
  • NIKKEI

    29.357,82
    +26,45 (+0,09%)
     
  • NASDAQ

    13.715,50
    +117,75 (+0,87%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,3651
    -0,0015 (-0,02%)
     

EUA esperam ter vacinas suficientes apesar de pausa com J&J

Joshua Wingrove
·2 minuto de leitura

(Bloomberg) -- O governo dos Estados Unidos espera ter vacinas suficientes contra o coronavírus para atender à demanda no país até maio, apesar da esperada pausa no uso do imunizante da Johnson & Johnson após seis mulheres vacinadas terem desenvolvido uma forma rara e grave de trombose.

A produção de vacinas da Pfizer e da Moderna deve ser adequada para satisfazer a demanda dos EUA, disse uma autoridade, que falou sob condição de anonimato, quando surgem sinais de que os EUA começam a migrar da escassez de doses para uma escassez de pessoas dispostas a serem vacinadas.

A Casa Branca disse que há oferta suficiente para manter o ritmo de vacinação atual. “Este anúncio não terá impacto significativo em nosso plano de vacinação”, disse Jeff Zients, coordenador da resposta da Covid-19 da Casa Branca, em comunicado.

O presidente dos EUA, Joe Biden, havia prometido vacinas suficientes até o fim de maio para todos os adultos dos EUA, um plano que pressupunha a oferta da J&J.

Nos EUA, Pfizer e Moderna respondem por cerca de 95% da distribuição semanal até o momento, enquanto a J&J é responsável pelo restante. Nas últimas semanas, os EUA disponibilizaram mais de 25 milhões de doses da Pfizer e da Moderna semanalmente, e esta semana esperam ter 28 milhões de doses disponíveis, de acordo com Zients.

“Esta oferta é mais do que suficiente para continuar o ritmo atual de vacinações de 3 milhões de doses por dia e cumprir a meta do presidente de 200 milhões de doses até seu 100º dia de mandato - e continuar a alcançar cada adulto que queira ser vacinado”, disse Zients.

A decisão de suspender o uso da J&J chega em um momento crucial da campanha de vacinação dos Estados Unidos, que ganhou velocidade nas últimas semanas, ao mesmo tempo em que a piora do surto causada por variantes do coronavírus predomina na região do Meio-Oeste. E deve aumentar a preocupação com a oferta de vacinas ao redor do mundo, depois que problemas semelhantes causaram atrasos na distribuição do imunizante da AstraZeneca.

Após a aplicação da vacina da J&J, um tipo de coágulo sanguíneo no cérebro, chamado de trombose do seio venoso cerebral, foi observado com baixos níveis de plaquetas nas mulheres afetadas, com idades entre 18 e 48 anos, segundo comunicado conjunto dos Centros de Controle e Prevenção de Doenças dos EUA e da agência reguladora FDA.

For more articles like this, please visit us at bloomberg.com

Subscribe now to stay ahead with the most trusted business news source.

©2021 Bloomberg L.P.