Mercado fechado
  • BOVESPA

    121.801,21
    -1.775,35 (-1,44%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.195,43
    -438,48 (-0,85%)
     
  • PETROLEO CRU

    68,33
    +0,18 (+0,26%)
     
  • OURO

    1.813,10
    -1,40 (-0,08%)
     
  • BTC-USD

    39.799,30
    +1.357,82 (+3,53%)
     
  • CMC Crypto 200

    981,48
    +54,71 (+5,90%)
     
  • S&P500

    4.402,66
    -20,49 (-0,46%)
     
  • DOW JONES

    34.792,67
    -323,73 (-0,92%)
     
  • FTSE

    7.123,86
    +18,14 (+0,26%)
     
  • HANG SENG

    26.555,65
    +129,10 (+0,49%)
     
  • NIKKEI

    27.644,30
    +60,22 (+0,22%)
     
  • NASDAQ

    15.095,50
    +22,00 (+0,15%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,1458
    +0,0275 (+0,45%)
     

EUA enviam 3,5 milhões de doses da Moderna para Argentina

·2 minuto de leitura

(Bloomberg) -- Os Estados Unidos enviarão 3,5 milhões de vacinas da Moderna para a Argentina na sexta-feira como parte das crescentes doações do governo do presidente Joe Biden a países em desenvolvimento na América Latina, Ásia e África.

O carregamento chegará no sábado, após um acordo bilateral entre os países, segundo um representante da Casa Branca. A doação dos EUA é a maior até agora feita para um país latino-americano e marca a primeira chegada de vacinas com a tecnologia de RNA mensageiro (mRNA) à Argentina.

A segunda maior economia da América do Sul, que registra 4,7 milhões de casos e possui 45 milhões de habitantes, está no grupo de outros 10 países com 100 mil mortes ou mais causadas pelo coronavírus, segundo dados compilados pela Organização Mundial da Saúde. A doação faz parte da promessa do governo Biden de enviar pelo menos 80 milhões de doses produzidas pela Pfizer, Moderna e Johnson & Johnson.

Recentemente, o governo do presidente da Argentina, Alberto Fernández, assinou um acordo para a compra de 20 milhões de doses da Moderna, que só chegarão no primeiro trimestre de 2022.

A Argentina teve que mudar as regras para as vacinas com um decreto no início do mês para permitir o acesso a uma gama mais ampla de imunizantes desenvolvidos por fabricantes dos EUA. O governo contou até agora com mais de 32 milhões de doses da Sputnik V da Rússia, da chinesa Sinopharm e da AstraZeneca. Apenas 11,4% da população da Argentina está totalmente imunizada

Embora o governo tenha atenuado as medidas de quarentena devido à queda dos casos diários, limitou o número diário de viajantes com permissão para chegar em voos internacionais com o objetivo de desacelerar a propagação da variante delta. A Argentina detectou 15 casos da delta em pessoas vindas do exterior.

More stories like this are available on bloomberg.com

Subscribe now to stay ahead with the most trusted business news source.

©2021 Bloomberg L.P.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos