Mercado fechado
  • BOVESPA

    110.575,47
    +348,38 (+0,32%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    41.674,30
    -738,17 (-1,74%)
     
  • PETROLEO CRU

    45,53
    -0,18 (-0,39%)
     
  • OURO

    1.781,90
    -23,60 (-1,31%)
     
  • BTC-USD

    17.048,04
    +323,24 (+1,93%)
     
  • CMC Crypto 200

    333,92
    -3,58 (-1,06%)
     
  • S&P500

    3.638,35
    +8,70 (+0,24%)
     
  • DOW JONES

    29.910,37
    +37,90 (+0,13%)
     
  • FTSE

    6.367,58
    +4,65 (+0,07%)
     
  • HANG SENG

    26.894,68
    +75,23 (+0,28%)
     
  • NIKKEI

    26.644,71
    +107,40 (+0,40%)
     
  • NASDAQ

    12.257,50
    +105,25 (+0,87%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,3746
    +0,0347 (+0,55%)
     

EUA endurece sanções contra setor petroleiro do Irã

·2 minuto de leitura
Petroleiro que iria do Irã para a Venezuela foi interceptado pelos EUA
Petroleiro que iria do Irã para a Venezuela foi interceptado pelos EUA

O governo Donald Trump impôs nesta segunda-feira (26) novas sanções ao setor de petróleo do Irã, incluindo vendas para Síria e Venezuela, reduzindo a margem de manobra do candidato democrata à Presidência, Joe Biden, caso ele vença as eleições na próxima semana. 

Desde 2018, o governo Trump impõe sanções abrangentes com o objetivo de encerrar todas as exportações de petróleo do Irã, punindo qualquer país que comprar o produto de seu rival. 

O governo informou que designou a Companhia Nacional de Petróleo do Irã, o Ministério do Petróleo do Irã e a Companhia Nacional de Petroleiros do Irã sob uma autoridade antiterrorismo, o que significa que qualquer futuro governo terá que tomar medidas legais para reverter a decisão. 

O Departamento do Tesouro emitiu as sanções ligando as três entidades à Força Qods dos Guardiões da Revolução, de elite, anteriormente designada como organização terrorista pelos Estados Unidos e cujo comandante, Qasem Soleimani, foi morto em um ataque norte-americano ao aeroporto de Bagdá. em janeiro. 

"O regime iraniano continua priorizando seu apoio a entidades terroristas e seu programa nuclear em detrimento das necessidades do povo iraniano", disse o secretário do Tesouro, Steven Mnuchin, em um comunicado. 

Biden, que lidera as pesquisas de intenção de voto antes para as eleições da próxima terça-feira, apoia a diplomacia com o Irã e um acordo negociado sob o governo de Barack Obama, segundo o qual Teerã cortou drasticamente suas atividades nucleares em troca de promessas de alívio das sanções.

O Departamento do Tesouro disse que uma rede apoiada pela Força Qods enviou mais de uma dúzia de petroleiros na primavera de 2019, principalmente para a Síria, onde o Irã é um dos principais apoiadores do presidente Bashar al Assad emergindo de uma guerra civil. 

Além das designações de terrorismo, o Departamento do Tesouro impôs sanções a um empresário iraniano baseado no Reino Unido, Mahmoud Madanipour, e a empresas relacionadas a transações com a Venezuela. 

O Departamento do Tesouro o acusou de organizar o embarque de dezenas de milhares de toneladas de gasolina para a Venezuela, onde Trump tentou sem sucesso depor o presidente Nicolás Maduro. 

Os Estados Unidos também impuseram sanções ao governo Maduro e, no início deste ano, conseguiram apreender cargas de combustível de quatro navios iranianos com destino à Venezuela, que sofre com uma significativa escassez de gasolina e energia, apesar de seu petróleo abundante.

sct/ec/mls/lda/cc/mvv