Mercado fechado
  • BOVESPA

    100.591,41
    -172,59 (-0,17%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    48.435,45
    +140,65 (+0,29%)
     
  • PETROLEO CRU

    112,29
    +0,53 (+0,47%)
     
  • OURO

    1.820,40
    -0,80 (-0,04%)
     
  • BTC-USD

    20.308,04
    -524,13 (-2,52%)
     
  • CMC Crypto 200

    439,82
    -10,24 (-2,28%)
     
  • S&P500

    3.821,55
    -78,56 (-2,01%)
     
  • DOW JONES

    30.946,99
    -491,31 (-1,56%)
     
  • FTSE

    7.323,41
    +65,09 (+0,90%)
     
  • HANG SENG

    22.418,97
    +189,47 (+0,85%)
     
  • NIKKEI

    26.801,82
    -247,65 (-0,92%)
     
  • NASDAQ

    11.692,00
    +17,75 (+0,15%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,5436
    -0,0005 (-0,01%)
     

EUA dizem serem 'confiáveis' informes de que Rússia rouba trigo da Ucrânia

O chefe da diplomacia americana, Antony Blinken, considerou "confiáveis" nesta segunda-feira (6) as informações de que a Rússia "rouba" as exportações de cereais ucranianos, bloqueadas por causa do conflito, "para vendê-las em benefício próprio".

"Há informes críveis (...) de que a Rússia está roubando as exportações de cereais da Ucrânia para vendê-las em benefício próprio", disse Blinken durante coletiva de imprensa virtual sobre a insegurança alimentar.

Moscou está "monopolizando suas próprias exportações de alimentos também", o que está fazendo disparar os preços do trigo e de outros cereais no mundo, gerando o temor de uma escassez, acrescentou Blinken.

O secretário de Estado disse que a Rússia bloqueia a saída de navios de carga carregados com cereais do porto de Odessa, no mar Negro, e acusou o presidente russo, Vladimir Putin, de praticar "chantagem" ao buscar com isso a suspensão das sanções internacionais por causa da invasão da Ucrânia.

"Um bloco naval russo no mar Negro impede que a safra ucraniana seja encaminhada a seus destinos normais", disse.

"Tudo isso é deliberado".

O jornal New York Times tinha noticiado sobre a advertência que Washington fez em meados de maio a 14 países, principalmente na África, de que cargueiros russos transportavam "cereais ucranianos roubados".

Antony Blinken fez alusão a este artigo publicado no jornal americano, sem confirmar, no entanto, de forma direta o alerta emitido aos países africanos.

Na sexta-feira, o embaixador da Ucrânia em Ancara tinha acusado a Rússia de "roubar" e exportar cereais ucranianos, especialmente para a Turquia.

O presidente ucraniano, Volodimir Zelensky, assegurou na segunda-feira que entre 20 e 25 milhões de toneladas de cereais estavam bloqueadas por causa da guerra, um volume que poderia triplicar até o próximo outono boreal.

"Precisamos de corredores marítimos e o discutimos com a Turquia e com o Reino Unido", assim como com a ONU, afirmou.

Rússia e Ucrânia, duas superpotências produtoras de grãos, produzem 30% das exportações mundiais de trigo. A guerra que começou em 24 de fevereiro provocou uma escalada nos preços dos cereais e dos óleos derivados, superando os preços alcançados durante a "primavera árabe" em 2011 e a crise alimentar em 2008.

fff/led/cjc/rsr/mvv

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos