EUA: Deputados aprovam pacote contra 'abismo fiscal'

A Câmara dos Representantes (deputados) dos Estados Unidos aprovou na madrugada desta quarta-feira, pelo horário de Brasília, o acordo para evitar o abismo fiscal que havia passado pelo Senado na noite de Ano Novo. Na Câmara, o placar foi de 252 votos para aprovar o acordo e 167 contra.

Com a aprovação no Congresso, o acordo vai agora para a Casa Branca, para sanção de Barack Obama. Logo após a aprovação na Câmara, o presidente americano fez um rápido pronunciamento à imprensa, afirmando que o acordo foi apenas mais um passo, o déficit público americano ainda é muito alto e que ele está aberto para buscar formas de reduzir a dívida.

Na Câmara, a terça-feira foi marcada por reuniões a portas fechadas, primeiro dos democratas, depois dos republicanos. Até entre os próprios colegas de partido parecia haver divergências intransponíveis. No final, o presidente da Câmara dos Representantes, o republicano John Boehner votou a favor do acordo, mas o líder republicano na casa, Eric Cantor, votou contra.

Inicialmente os republicanos queriam fazer emendas ao projeto aprovado no Senado na madrugada de terça-feira, 1º, pedindo mais corte de gastos públicos. Mas o senador democrata Harry Reid, líder no Senado, declarou que um novo plano com emendas não seria votado e pediu para seus colegas de senado irem embora para suas casas.

Em seguida, a líder da minoria democrata na Câmara, Nancy Pelosi fez um apelo para que o acordo fosse aprovado sem emendas. "O povo americano merece isso", declarou a jornalistas.

A sessão da Câmara foi interrompida por volta das 13h20 (16h20 de Brasília) de terça-feira e só retomada no início da noite. A votação terminou às 23h (2h de Brasília).

No acordo aprovado pelo Congresso, americanos que ganham mais de US$ 400 mil por ano (ou US$ 450 mil se for um casal) pagarão mais imposto de renda (a taxa subiu de 35% para 39,6%) a partir desta quarta-feira, 02. Além disso, o corte de gastos de programas do governo americano foi postergado por dois meses. Esses cortes equivalem a US$ 1,2 trilhão em dez anos. Benefícios a desempregados foram mantidos por mais um ano. O acordo não menciona a elevação do teto da dívida pública americana, que chegou ao limite e precisa ser aumentado.

cotações recentes

 
Cotações recentes
Símbolo Preço Variação % Var 
Seus tickers vistos mais recentemente aparecerão aqui automaticamente se você digitou um ticker no campo "Inserir símbolo/empresa" na parte inferior deste módulo.
É necessário permitir os cookies do seu navegador para ver as cotações mais recentes.
 
Entre para ver as cotações nos seus portfólios.

Resumo do Mercado

  • Moedas
    Moedas
    NomePreçoVariação% Variação
    3,2440+0,023+0,71%
    USDBRL=X
    3,6440+0,0349+0,97%
    EURBRL=X
    0,8903-0,0017-0,19%
    USDEUR=X
  • Commodities
    Commodities
    NomePreçoVariação% Variação

Destaques do Mercado

  • Líderes em Volume
    Líderes em Volume
    NomePreçoVariação% Variação
    13,69-0,31-2,21%
    PETR4.SA
    3,63+0,02+0,55%
    GOAU4.SA
    3,57-0,04-1,11%
    USIM5.SA
    15,33+0,09+0,59%
    VALE5.SA
    10,02+0,52+5,47%
    SUZB5.SA
  • Altas %
    Altas %
    NomePreçoVariação% Variação
    6,00+0,98+19,52%
    SLED3.SA
    34,93+4,93+16,43%
    TWTR34.SA
    19,00+0,90+4,97%
    SNSY5.SA
    4,00+0,31+8,40%
    CEDO4.SA
    69,30+5,30+8,28%
    WPLZ11B.SA
  • Baixas %
    Baixas %
    NomePreçoVariação% Variação
    2,10-0,05-2,33%
    AFLT3.SA
    9,45-0,55-5,50%
    MTSA4.SA
    12,78-0,92-6,72%
    ENEV3.SA
    8,33-0,67-7,44%
    BSEV3.SA
    5,99-0,01-0,17%
    CRPG5.SA