Mercado abrirá em 9 h 33 min

Fauci diz que os EUA podem voltar ao normal no próximo verão

·2 minuto de leitura

Se o cronograma da vacinação contra a covid-19 ocorrer sem problemas, será possível alcançar a imunidade populacional generalizada nos Estados Unidos no próximo verão, disse o cientista americano Anthony Fauci.

Em uma entrevista ao WebMD, postada nesta quarta-feira (23), o especialista do governo sugeriu que as pessoas poderiam marcar casamentos já em junho ou julho.

Fauci disse acreditar que populações prioritárias, como residentes de lares para idosos, profissionais de saúde, trabalhadores essenciais, idosos, pessoas em alto risco, etc, devem receber suas vacinas até março ou início de abril.

"Poderíamos começar em abril, fazendo o que chamo de 'temporada aberta' de vacinação - ou seja, qualquer pessoa da população em geral que quiser será vacinada."

Ele continuou: "Quando chegarmos ao meio ou final do verão, acredito que teremos, se o fizermos corretamente, 70% a 85% da população vacinada. Quando isso ocorrer, haverá um guarda-chuva de proteção para todo o país”.

Questionado se as pessoas que haviam adiado seus casamentos até março ou abril de 2021 precisariam adiar novamente, ele respondeu: "Você sabe, eles deveriam ter feito isso até junho, julho."

Os comentários de Fauci foram divulgados depois que os EUA autorizaram duas vacinas para uso de emergência, uma da Pfizer e BioNTech e outra da Moderna e do Instituto Nacional de Saúde (NIH).

Também na terça-feira, o governo Trump anunciou ter comprado 100 milhões de doses adicionais da vacina Pfizer-BioNTech contra a covid-19, com entrega programada para julho.

Com isso, os Estados Unidos, um país de mais de 330 milhões de habitantes e o mais atingido pela pandemia da covid-19, elevará seu estoque para 400 milhões de doses, metade da Pfizer/BioNTech, metade da Moderna.

Isso permitirá vacinar 200 milhões de pessoas com as duas doses necessárias para obter imunidade.

"Segundo os termos do acordo, a Pfizer entregará pelo menos 70 milhões de doses até 30 de junho de 2021, e o restante das 100 milhões de doses até 31 de julho", disse o Departamento da Defesa em um comunicado.

O acordo "também inclui opções para 400 milhões de doses adicionais da vacina Pfizer", acrescenta a nota.

Os Estados Unidos esperam imunizar 20 milhões de pessoas este mês, dando prioridade aos residentes de lares para idosos e profissionais de saúde.

No domingo, um comitê de especialistas disse que as pessoas com 75 anos ou mais deveriam ser as próximas a ser vacinadas junto com 30 milhões de "trabalhadores essenciais da linha de frente", incluindo professores, funcionários de supermercados e lojas congêneres e policiais.

Os governos também esperam que mais produtos de fabricantes de vacinas sejam aprovados, com a Johnson & Johnson e a AstraZeneca sendo as próximas na linha.

bur-st/fox/yo/yow/tt/jc/mvv