Mercado fechado
  • BOVESPA

    110.123,85
    -3.459,16 (-3,05%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    50.925,52
    -673,01 (-1,30%)
     
  • PETROLEO CRU

    74,46
    -0,83 (-1,10%)
     
  • OURO

    1.734,10
    -3,40 (-0,20%)
     
  • BTC-USD

    41.692,35
    -1.462,04 (-3,39%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.033,22
    -23,93 (-2,26%)
     
  • S&P500

    4.352,63
    -90,48 (-2,04%)
     
  • DOW JONES

    34.299,99
    -569,38 (-1,63%)
     
  • FTSE

    7.028,10
    -35,30 (-0,50%)
     
  • HANG SENG

    24.500,39
    +291,61 (+1,20%)
     
  • NIKKEI

    30.183,96
    -56,10 (-0,19%)
     
  • NASDAQ

    14.774,50
    +9,75 (+0,07%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,3421
    -0,0005 (-0,01%)
     

EUA começam a retirar afegãos que trabalhavam para tropas americanas no país

·1 minuto de leitura

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - O primeiro voo com afegãos que cooperavam com as tropas americanas no país asiático aterrissou nesta sexta-feira (30) nos Estados Unidos. São 200 pessoas que trabalhavam como tradutores para os americanos e foram retirados do país pelo risco de sofrerem represália do Taleban após a retirada das tropas americanas depois de 20 anos de guerra. Eles receberam um visto especial e poderão viver nos Estados Unidos com suas famílias.

Mais de 20 mil afegãos trabalharam para os Estados Unidos após a invasão do país em 2001, na esteira dos ataques do 11 de Setembro, e a maioria deles solicitou o visto para se mudar de país. Estimativas apontam que cerca de 50 mil pessoas podem ser evacuadas no total.

O voo com os primeiros afegãos retirados do país chegou na base militar de Fort Lee, na Virgínia, onde completarão os trâmites burocráticos para a mudança e passarão por exames médicos, incluindo testes para a Covid-19.

"Hoje é um marco importante, pois continuamos cumprindo nossa promessa feita a milhares de cidadãos afegãos que trabalharam lado a lado com as tropas e com a diplomacia americanas nos últimos 20 anos", afirmou o presidente Joe Biden em comunicado divulgado pela Casa Branca.

Ao todo, cerca de 75 mil afegãos foram levados aos Estados Unidos na última década, segundo o secretário de Defesa Lloyd Austin, que chamou de "obrigação moral" para o país "ajudar aqueles que nos ajudaram."

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos