EUA buscam acordo para elevar exportações de serviços

A administração Barack Obama começou hoje a busca por um pacto comercial multinacional que pretende expandir as exportações norte-americanas de serviços - produtos que variam de seguro de vida para viagem a royalties de cinema de Hollywood.

O negócio, se chegar a acontecer, marcará a primeira vez em quase 20 anos que os EUA atingem um pacto de serviços específicos. O governo pretende iniciar negociações, em Genebra, na Suíça, nos próximos 90 dias, com 20 parceiros comerciais, incluindo Canadá, União Europeia e Japão.

Os EUA já são os maiores exportadores de serviços do mundo e tiveram um excedente de serviços de US$ 178,5 bilhões em 2011. Se os negócios de exportações de serviços crescerem à mesma escala dos bens manufaturados globalmente, as exportações dos EUA poderão aumentar para até US$ 800 bilhões, disse o representante comercial dos EUA, Ron Kirk, em carta enviada ao Congresso na qual anunciou sua intenção de negociar o acordo.

"Para começar a realizar este potencial, é preciso superar uma série de barreiras que travam, constrangem ou perturbam a prestação internacional de serviços", escreveu Kirk.

A exportação de serviços normalmente não enfrenta tarifas, como ocorre frequentemente com os produtos vendidos no exterior, mas as barreiras ainda persistem. Estas barreiras incluem regras que exigem uma presença local ou propriedade para vender um serviço em um determinado país, além de requisitos de licença profissional que poderiam dificultar, por exemplo, para um contador, arquiteto ou advogado trabalhar no exterior. As informações são da Dow Jones.

Carregando...