Mercado fechará em 1 h 29 min
  • BOVESPA

    106.046,10
    -317,00 (-0,30%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.585,69
    -128,91 (-0,25%)
     
  • PETROLEO CRU

    82,29
    -0,37 (-0,45%)
     
  • OURO

    1.802,00
    +3,20 (+0,18%)
     
  • BTC-USD

    61.105,38
    +1.992,90 (+3,37%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.483,24
    +63,86 (+4,50%)
     
  • S&P500

    4.585,18
    +33,50 (+0,74%)
     
  • DOW JONES

    35.648,35
    +157,66 (+0,44%)
     
  • FTSE

    7.249,47
    -3,80 (-0,05%)
     
  • HANG SENG

    25.555,73
    -73,01 (-0,28%)
     
  • NIKKEI

    28.820,09
    -278,15 (-0,96%)
     
  • NASDAQ

    15.709,50
    +122,25 (+0,78%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,5563
    +0,1316 (+2,05%)
     

EUA autoriza novos lançamentos da Virgin Galactic após concluir investigação

·2 minuto de leitura
Richard Branson fala depois de voar ao espaço a bordo de uma nave da Virgin Galactic, uma viagem que descreveu como a "experiência de sua vida" (AFP/Patrick T. FALLON)

A Virgin Galactic anunciou nesta quarta-feira (29) que foi autorizada a realizar voos espaciais, depois que a Agência Federal de Aviação (FAA) concluiu uma investigação sobre um "contratempo" de segurança relacionado com sua missão de alto perfil em julho, que contou com a presença do fundador da companhia, Richard Branson.

A FAA informou à companhia que tinha aceito as medidas corretivas propostas em relação ao voo, no qual o veículo SpaceShipTwo caiu abaixo de seu espaço aéreo durante a descida na pista de pouso em Spaceport America, Novo México.

A Virgin Galactic fará seus cálculos para voos futuros e pedirá mais espaço aéreo. A empresa também prometeu comunicação em tempo real com a FAA durante as operações de voo.

"Toda a nossa abordagem de voos espaciais está orientado por um compromisso fundamental com a segurança em todos os níveis, inclusive nosso sistema de voos espaciais e nosso programa de voos de testes", disse o diretor-executivo da companhia, Michael Colglazier, em um comunicado.

"Apreciamos a revisão exaustiva desta investigação de parte da FAA. Nosso programa de voo de testes está projetado especificamente para melhorar continuamente nossos processos e procedimentos".

A FAA manteve em solo a Virgin Galactic no começo do mês depois que uma reportagem investigativa da revista The New Yorker reportou que o voo experimentou irregularidades que poderiam ter posto em risco a missão.

O artigo destacou que os pilotos encontraram advertências na cabine que indicavam que a ascensão do avião espacial propulsionado por foguetes era superficial demais e o nariz não estava suficientemente na vertical.

Isso poderia ter significado que, depois de levar sua tripulação ao limiar do espaço, faltasse energia suficiente para a aeronave planar de volta à pista de pouso na Terra.

Por fim, a nave pousou na pista, mas sua altitude foi abaixo do devido.

Em um comunicado, a FAA confirmou que tinha encerrado sua "investigação do contratempo".

"A FAA também descobriu que a Virgin Galactic não comunicou o desvio à FAA como requerido", acrescentou o comunicado. A declaração sugere que a agência só soube da irregularidade pelo artigo na The New Yorker.

A Virgin Galactic está planejando seu próximo voo de testes com membros da força aérea italiana em meados de outubro.

ia/sst/ag/lm/mvv

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos