Mercado fechado

EUA aprovam venda de quatro drones armados para Taiwan

·1 minuto de leitura
Esta foto da Força Aérea dos EUA obtida em 5 de janeiro de 2020 mostra uma aeronave pilotada remotamente MQ-9 Reaper, da Força Aérea dos EUA, enquanto aguarda um teste de motor antes das operações de Inteligência, Vigilância e Reconhecimento na base aérea Ali Al Salem, no Kuwait
Esta foto da Força Aérea dos EUA obtida em 5 de janeiro de 2020 mostra uma aeronave pilotada remotamente MQ-9 Reaper, da Força Aérea dos EUA, enquanto aguarda um teste de motor antes das operações de Inteligência, Vigilância e Reconhecimento na base aérea Ali Al Salem, no Kuwait

Os Estados Unidos aprovaram nesta terça-feira (3) a venda de quatro drones armados MQ-9 Reaper para Taiwan por 600 milhões de dólares, para reforçar a defesa da ilha em meio a crescentes tensões com Pequim.

Esta compra permitirá que Taiwan "modernize suas forças armadas e mantenha uma capacidade defensiva confiável", disse o Departamento de Estado dos EUA em um comunicado.

É a terceira venda de armas para Taiwan aprovada pelo governo Trump em menos de três semanas. O conjunto das transações soma 4,8 bilhões de dólares.

A venda de armas dos EUA a Taiwan é uma questão muito delicada para Pequim, que reivindica a anexação da ilha. O governo chinês prometeu "sanções" aos grupos americanos Boeing Defense, Lockheed Martin e Raytheon por vendas de armamento anunciadas.

Washington rompeu relações com Taipei em 1979 para reconhecer Pequim. No entanto, no mesmo ano, os Estados Unidos aprovaram uma lei que estabelece que Washington deve ajudar Taiwan em caso de conflito. Desde então, os EUA forneceram armas a Taiwan.

Pequim ameaça recorrer à força caso Taipei proclame formalmente sua independência ou receba intervenção estrangeira. Os Estados Unidos querem garantir à ilha um sistema de defesa confiável em caso de uma possível invasão chinesa.

sl/gm/dga/ic/mvv