Mercado fechará em 1 h 34 min

EUA apoiam Brasil para entrada na OCDE no lugar da Argentina

Poliana Santos
EUA apoiam Brasil para entrada na OCDE no lugar da Argentina

Os Estados Unidos consideram como prioridade o ingresso do Brasil na Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE). Dessa forma, o País ocupa a vaga que era da Argentina na fila de postulantes a entrar na organização de países ricos.

Em março do ano passado, o presidente norte-americano, Donald Trump, havia afirmado na presença do presidente da República, Jair Bolsonaro, que apoiava a entrada do Brasil na OCDE. No entanto, meses depois, uma carta do Secretário de Estado, Mike Pompeo, se tornou pública e no documento dizia que os EUA apoiariam somente os pedidos de acesso da Argentina e da Romênia.

Após a carta ter se tornado pública, Trump se explicou e disse que o apoio à candidatura brasileira continuava mas que ainda o país norte-americano não havia oficialmente alterado sua recomendação.

"Os EUA querem que o Brasil se torne o próximo país a iniciar o processo de adesão à OCDE. O governo brasileiro está trabalhando para alinhar suas políticas econômicas aos padrões da OCDE enquanto prioriza a adesão à organização para reforçar as suas reformas políticas", informou a embaixada dos EUA em Brasília.

EUA apoiam Brasil na OCDE

De acordo com o jornal "Folha de S.Paulo", os americanos entregaram uma carta à organização oficializando que querem que o Brasil seja o próximo país a iniciar o processo de adesão à entidade.

Essa decisão de Washington foi devido aos argumentos de que o Brasil não estaria recebendo nada em troca das concessões feitas aos norte-americanos. O presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia, fez declarações contra a política de alinhamento automático entre os dois países.

Confira Também: OCDE: Guerra comercial faz com que subsídios aumentem

"A nossa decisão de priorizar a candidatura do Brasil como próximo país a iniciar o processo é uma evolução natural do compromisso reafirmado pelo secretário de Estado e pelo presidenteTrump em outubro de 2019", completou a embaixada norte-americana.

De acordo com fontes do veículo jornalístico, os EUA quer que o Brasil "fure a fila" e ocupe o lugar do país vizinho devido ao novo presidente de esquerda, Alberto Fernández. Até o final do ano passado, a Argentina era governado por Mauricio Macri, o que fortalecia o pleito do país pelo ingresso na organização.

Apesar do apoio americano, para entrada definitiva do País é necessário a aprovação dos demais 36 membros (países) do OCDE.