Mercado fechado
  • BOVESPA

    122.038,11
    +2.117,50 (+1,77%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    49.249,02
    +314,11 (+0,64%)
     
  • PETROLEO CRU

    64,82
    +0,11 (+0,17%)
     
  • OURO

    1.832,00
    +16,30 (+0,90%)
     
  • BTC-USD

    57.593,37
    -513,76 (-0,88%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.480,07
    +44,28 (+3,08%)
     
  • S&P500

    4.232,60
    +30,98 (+0,74%)
     
  • DOW JONES

    34.777,76
    +229,23 (+0,66%)
     
  • FTSE

    7.129,71
    +53,54 (+0,76%)
     
  • HANG SENG

    28.610,65
    -26,81 (-0,09%)
     
  • NIKKEI

    29.357,82
    +26,45 (+0,09%)
     
  • NASDAQ

    13.715,50
    +117,75 (+0,87%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,3651
    -0,0015 (-0,02%)
     

ETF de criptomoedas bate R$ 1 bilhão e se firma como 3º maior da B3

Késia Rodrigues
·2 minuto de leitura

O primeiro ETF de criptomoedas do Brasil, o HASH11, já bateu R$ 1 bilhão em captação após sua estreia na bolsa brasileira na semana última semana.

O Hashdex Nasdaq Crypto Index Fundo de Indice já possui 18.655.014,00 de cotas em negociação e chegou a um patrimônio de R$1,04 bilhão. O valor das cotas, por sua vez, já registra uma alta de mais de 15%.

O preço negociado na semana de estreia do fundo na B3 já não existe mais. No último pregão, o fundo chegou a ser cotado em R$ 55,79. Vale lembrar que, na semana passada, era possível adquirir uma conta do fundo por R$ 47,20.

Número alto expressa o interesse brasileiro por criptoativos

Para o CEO da Hashdex, Marcelo Sampaio, os números da semana revelam o quanto o público brasileiro buscava uma forma de investir em ativos digitais. Para Sampaio:

O HASH11 apresentou para o mercado uma solução segura e simplificada que deve crescer ainda mais nos próximos meses.

A fala do CEO vai ao encontro do propósito da gestora que visa conectar mercados financeiros tradicionais ao mercado global de criptoativos de forma inteligente.

Vale lembrar que o fundo replica um índice de criptomoedas desenvolvido em conjunto com a Nasdaq (o NCI) e o Bitcoin é a moeda de maior peso do índice.

O NCI (Nasdaq Crypto Index) representa uma nova classe de ativos com foco trazer benefícios de diversificação aos portfólios. Para isso, sua cesta inclui 6 ativos escolhidos por meio de um rigoroso critério e a composição será calculada a cada 3 meses.

Até o momento, os seguintes criptoativos integram o HASH11:

  • Bitcoin

  • Ethereum

  • Litecoin

  • Chainlink

  • Bitcoin Cash

  • Stellar Lumens

HASH11: de quinto para terceiro maior da B3

real moeda
real moeda

Nascido como o 5º maior fundo da bolsa brasileira em renda variável, atrás apenas dos fundos IVVB11, BOVA11, SMAL11 e XINA11, o HASH11 é, atualmente, o terceiro maior da B3, tendo 61.500 cotistas.

Uma das principais vantagens em se investir em HASH11 consiste na valorização do ativo de maior peso do fundo: o Bitcoin. Como os ETFs possuem a proteção da CMV, torna-se uma forma segura de se investir em criptoativos.

Além disso, o fundo contempla a premissa de proteção de patrimônio e de rentabilidade: a diversificação, já que o índice é composto por mais de um ativo.

O investimento direto em criptomoedas já é algo acessível, já que todas as informações necessárias para iniciar estão disponíveis amplamente na web. No entanto, o ETF de criptomoedas surge como uma alternativa principalmente para instituições, que podem ter impedimentos legais para abrir contas em corretoras.

A Hashdex não revelou a divisão de cotistas entre investidores individuais e institucionais até o momento.

O artigo ETF de criptomoedas bate R$ 1 bilhão e se firma como 3º maior da B3 foi visto pela primeira vez em BeInCrypto.